segunda-feira, maio 27, 2024
Aves e AquarismoEdição atual

Aquário e lagos na pandemia: refúgio para uns, lucro para outros

Projeto de lago ornamental corredeira em cascatas realizado pela Eco Fish: Lago Ornamental estilo rústico, com filtragem exclusiva Eco Line (UV + Ozônio + biofiltro). Fauna: carpas Koy e kinguios – Foto: Divulgação Eco Fish

Confira panorama, tendências e desafios do setor nesse momento pandêmico 

Lago de rochas artificiais realizado pela Eco Fish: projeto desenvolvido em rochas artificiais, com cascata executada por um parceiro Eco Fish, aliado à linha exclusiva Eco Line (ozônio, U.V e biofiltro) para criação de carpas Koy – Foto: Lidimar/Divulgação Eco Fish

Criar peixes ornamentais em aquários é um hobby para quase 11 milhões de brasileiros, segundo aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E mesmo com a pandemia, esse setor continua a crescer. Carlos Reichert, CEO da Still Pet, aponta que todos os produtos da marca tiveram crescimento expressivo nesses meses de pandemia, em especial, as beteiras e plantas plásticas. Tal crescimento também foi percebido por Arlette Farias, sócia proprietária da fishgarden, de Campinas-SP. “Tivemos aumento bastante significativo em nossas vendas de aquários de pequeno porte, até 30 litros e nossas manutenções de lagos e aquários permaneceram estáveis”, compartilha. “Nestes últimos 10 anos a área de aquarismo e lagos ornamentais, vem crescendo muito a cada ano, em especial a parte biológica”, acrescenta. 

Exportação de peixes  

Vanilson Ramos Gonçalves, diretor comercial da empresa Eco Fish Aquários e Lagos, de Belo Horizonte-MG, atribui esse crescimento à reclusão das pessoas, na quarentena. “Ficando em casa as pessoas perceberam que qualquer cantinho pode se transformar em um lago ornamental, ou abrigar um aquário, tanto na área externa ou interna, pois eles podem ser instalados em uma infinidade de lugares. Houve muita procura para deixar o ambiente da casa mais bonito e personalizado”, argumenta. Ainda segundo Vanilson, o segmento de lagos ornamentais vivenciou grande expansão em 2020. “Acredito muito ser uma tendência que pode até superar os projetos para aquários, principalmente pelo fato de o mercado oferecer produtos de qualidade como filtros, biofiltros e esterilizadores eficientes e com trabalhos decorativos belíssimos com várias opções de montagem”, ressalta Vanilson, que implementou o delivery de peixes e acessórios na pandemia, serviço que se tornou mais um canal de vendas permanente na Eco Fish. 

Augusto Aparecido Tinfre, de São Paulo-SP, consultor de vendas da World Trotter, empresa que faz importação de produtos para aquarismo, percebeu crescimento significativo nos dois setores, de aquários e lagos ornamentais. “As pessoas sentiram necessidade de ter elementos de recreação em casa, e os lagos e aquários são uma alternativa muito boa para ter uma válvula de escape. Percebemos um aumento de procura pelos condomínios, que instalaram lagos para que os condôminos pudessem desfrutar desse elemento como fonte de lazer e descontração”, comenta. 

Aquário low tech feito pela fishgarden em novembro de 2020: fauna de peixes ornamentais amazônicos – Foto: Divulgação fishgarden

Contudo, houve setor que sofreu com a pandemia: o de exportação de peixes. Segundo Ivan Oliveira, presidente da Associação de Criadores e Lojas de Aquário do Ceará (Aclace) e vice presidente da ABLA, no início da pandemia, não havia mais voos nem para trazer peixes da Amazônia para Fortaleza e, quando tinha, o frete era muito caro. Houve melhora apenas a partir de maio de 2020. “Em 2021 as exportações só não estão melhores devido a isso, pois o mercado asiático está superaquecido, mas a logística ainda é o gargalo. No mercado interno, como os fretes quadruplicaram de preço e para muitas capitais nem voos tinham, muitos clientes vieram de carro pegar os peixes de outros Estados”, compartilha Ivan. Porém, apesar de tudo, as vendas no mercado interno continuaram aquecidas, explica Ivan, pois as pessoas estavam em casa, o dólar alto e a falta de importações aumentou a venda dos peixes vendidos no mercado interno. “Em 2020, primeiro ano de pandemia, tivemos crescimento de 10% na nossa empresa apesar da forte queda nas vendas em março e abril, do alto preço da carga aérea e da falta de voos”, revela Ivan, que produz mais de 300 variedades de peixes, além de invertebrados na sua empresa, a Piscicultura Tanganyika, no município de Aquiraz-CE.  

Ainda segundo Ivan, a previsão é de crescimento expressivo no segmento em 2021, com as grandes redes de pet shops mantendo seus planos de expansão, mesmo durante a pandemia, e a internet facilitando a divulgação do hobby. “Também porque as pessoas se acostumaram a ficar mais em casa, aproveitando seus hobbys e muitos escolheram a aquariofilia como nova atividade de pandemia. Além de um hobby prazeroso, também é o mais prático e que demanda menos tempo dentre a maioria dos animais de estimação. Por isso, um dos grandes escolhidos foi o aquário”, acrescenta. 

Lago Ornamental montado pela fishgarden em abril de 2020: fauna de carpas Nishikigoi e plantas ornamentais – Foto: Divulgação fishgarden

Desafios

 Apesar do crescimento experimentado, houve também, entraves e desafios no período pandêmico. “Uma de nossas maiores dificuldades foi ter peixes ornamentais para venda, pois nossos fornecedores e criadores tiveram muitos problemas para conseguir entregar nossos pedidos”, revela Arlette. 

Outro ponto que prejudicou muito o setor em geral foi a alta do dólar. “No ramo aquarista 80% dos equipamentos são importados então eles tiveram aumentos elevados durante estes últimos 15 meses”, comenta Arlette, que aos poucos, com o alívio das restrições, tem havido melhora no fornecimento de peixes ornamentais. “Quanto ao aumento dos produtos estamos tentando driblar com descontos, combos e pagamento à vista em nossas vendas”, complementa Arlette. Com o aquecimento do segmento, Vanilson também teve dificuldades com a falta de insumos e o dólar alto. “Começaram a faltar matérias-primas e produtos em geral para que pudéssemos fazer o projeto total do cliente, e, logo, por consequência, subiriam os preços devido ao mercado instável e dólar alto, atrapalhando a manutenção do mercado aquecido”, relata. 

Wander Gomes Nascimento Junior, proprietário da loja especializada em aquarismo Aquarium Flora e Fauna, de Curitiba-PR, aponta que ainda tem faltado muitas mercadorias e o preço tem aumentado substancialmente. “O fornecimento de animais tornou-se mais escasso também. O caminho foi aumentar a quantidade de itens em estoque para conseguir atender a clientela sem que ela sofra com essas faltas”, diz.

Lago montado por Augusto Tinfre na sede da empresa Atacapet em Guarulhos, SP: lago povoado com Carpas Nishikigois – Foto: Divulgação Augusto Tinfre

Augusto aponta que no segmento de lagos existem duas tendências muito fortes no momento: uma voltada para tecnologia de ponta e outra para recursos naturais, com a construção de piscinas autossustentáveis. A primeira tendência, explica Augusto, consiste na instalação de painel eletrônico que conecta equipamentos e faz indicação de todos os parâmetros da água para que se possa monitorar as condições de água do lago mesmo a distância. “Nela, a utilização de bombas para movimentar a água e de luz LED também é grande. A tendência é que a água seja mais cristalina em sistemas que usam tecnologia de ponta”, acrescenta. Já a segunda tendência apontada pelo consultor de vendas, consiste em projetar lago rico em plantas com compartimentos de filtragem, para que as plantas possam absorver todos os componentes orgânicos, resultantes da decomposição de resíduos sólidos e outros  dejetos. “Lagos autossustentáveis não usam ultravioleta para controle de algas, pois o próprio equilíbrio biológico fará esse controle. Nesse tipo de ecossistema mais natural a água não é tão cristalina, pois a alga faz parte do ambiente dele e incide em quantidade maior, o que é normal”, explica. Já no setor de aquários, Augusto aponta que a as maiores novidades são em equipamentos de baixo consumo e alta performance e para iluminação em LED – tanto para aquários de água doce – mais baratos de se montar e menos complexos – como os de água salgada – encarecidos pela maior dificuldade em reproduzir o ambiente marinho, cujas águas são muita mis ricas em minerais.  

Tendências

Em termos de produtos, Wander aponta algumas tendências no segmento de aquários, principalmente os nanos e betteiras, nos quais são especializados: “Aquecedor eletrônico automático para controlar a temperatura do aquário de peixe Betta; Condicionadores completos da água para peixe Betta que, além de remover o cloro existente na água da torneira, ajustam o pH l, o GH e o KH para uma faixa valores ideais; Betteiras em forma de cubo e com volume igual ou superior a 6 litros de água; enfeites em formato de troncos e galhos de árvore que fazem com que o peixe Betta sinta-se mais tranquilo e amparado, concedendo um incrível conforto ao animal; e enfeites, produzidos em resina, que proporcionam tocas e refúgios para conceder privacidade no momento em que o peixe precisar.”


Colaboradores:

Arlette Farias
Possui 25 anos como aquarista profissional. Trabalhou com distribuição de peixes ornamentais por 20 anos. Especialista em aquarismo de água doce, é sócia proprietária da loja fishgarden, ao lado de Cleber Soave Ferreira.

www.fishgarden.com.br

Augusto Aparecido –
Tinfre Aquarista Profissional com experiência de 30 anos no mercado pet. Participou de Feiras como Interzoo 2008, C.I.P.S China Internacional Pet Show 2018 (Shangai). Atualmente Consultor de Vendas na Empresa World Trotter Com. Imp. Exp. Ltda. Fone: (11) 3935-0601/ wtrotter.com.br

Ivan Oliveira
Com mais de 25 anos de experiência em aquarismo, é proprietário da Aquariomania (www.aquariomania.shop), sócio-proprietario da Piscicultura Tanganyika no setor de peixes e corais marinhos e vice-presidente da Associação Brasileira de Lojas de Aquariofilia (ABLA). 


Wander Gomes Nascimento Junior
Proprietário da Aquarium Flora e Fauna, de Curitiba-PR.

Vanilson Ramos Gonçalves
Diretor comercial da Eco Fish Aquários e Lagos. É aquarista desde os 10 anos e lojista há 8 anos. É graduado em Administração, com pós-graduação em marketing, logística e negócios, além de possuir vários cursos na área de aquarismo e Lagos ornamentais. ecofish.com.br



Clique aqui e adquira já a edição 231 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!