domingo, julho 14, 2024
AdministraçãoDestaque

RECRUTAMENTO: COMO AVALIAR UM FUNCIONÁRIO?

Muitos lojistas têm dúvidas de como avaliar um tosador ou vendedor, na hora da seleção. Então, preparamos as dicas a seguir!

Drazen Zigic/iStock

O que é preciso avaliar na hora de contratar os diferentes profissionais da loja: vendedor, veterinário, groomer, banhista etc.? Esta pergunta é muito comum entre empresários do ramo pet. Segundo o consultor Ricardo de Oliveira, de Pinhais-PR, é um dos questionamentos que ele mais escuta em suas consultorias. “Contratar os profissionais certos para um pet shop é fundamental para o sucesso do negócio e a satisfação dos clientes”, enfatiza Ricardo.
Antes de tudo, Ricardo aponta que existem alguns cuidados principais a serem tomados na hora de uma contratação: “Peça referências de empregos anteriores e ligue para os antigos empregadores; faça uma consulta de antecedentes criminais no órgão da polícia civil do seu Estado; peça os certificados e documentos comprobatórios das formações relatadas pelo candidato; solicite que uma segunda pessoa participe do processo seletivo para que ao final vocês possam discutir pontos fortes e fracos de cada candidato. Essa pessoa pode ser seu sócio(a), um funcionário de confiança ou algum profissional de RH contratado por você.
”Segundo Robert Camargo, gerente da Agrosolo, em Bauru-SP, existem algumas dificuldades comuns que lojistas podem encontrar na hora da contratação: “a falta de comunicação entre gestão e time de recrutamento pode comprometer a assertiviade na contratação. A ausência de alinhamento dificulta a identificação das expectativas e necessidades para a vaga em questão, afetando a escolha do candidato ideal. É crucial estabelecer um canal de comunicação transparente para garantir o sucesso do processo de contratação; a escassez de profissionais qualificados é uma questão relevante, principalmente quando se trata de oportunidades em áreas técnicas; e o custo do recrutamento pode ser afetado de maneira substancial quando se opta por utilizar agências especializadas ou plataformas.” Ainda segundo Robert, para ter uma contratação assertiva, é imprescindível realizar uma identificação precisa das necessidades da empresa, com foco em sua cultura organizacional. “Dessa forma, atraimos profissionais que genuinamente acreditem na missão da empresa. A transparência no processo de recrutamento deve ser uma premissa, esclarecendo desde o primeiro contato as expectativas e valores da empresa. Além disso, é essencial promover ativamente a diversidade na equipe, reconhecendo sua importância para a excelência e inovação organizacional”, diz.
A seguir, Ricardo lista mais alguns pontos importantes que você, empresário, precisa avaliar ao contratar vendedores, veterinários, tosadores e banhistas:

O QUE PERGUNTAR NA HORA DA ENTREVISTA?
Segundo Ricardo de Oliveira, existem perguntas que são fundamentais para reduzir o risco de contratar pessoas que não vão se enquadrar no perfil da sua loja. Essas perguntas ajudarão a avaliar a experiência, habilidades, ética de trabalho e personalidade dos candidatos, permitindo que você tome decisões informadas ao montar sua equipe no pet shop. Além disso, considere incluir perguntas específicas com base nas necessidades únicas do seu pet shop e nas funções para as quais está contratando.
1. Por que você está interessado em trabalhar em um pet shop?
2. Qual é a sua experiência anterior com animais de estimação?
3. Você possui alguma formação ou certificação relacionada a cuidados de animais?
4. Como você lida com situações estressantes ou desafiadoras envolvendo animais?
5. Descreva uma situação em que você teve que lidar com um cliente difícil. Como você resolveu a situação?
6. Quais são suas habilidades de comunicação e como você se sente interagindo com clientes que são apaixonados por seus animais?
7. Como você se mantém atualizado sobre as tendências e novidades no mundo dos cuidados com animais?
8. Você já teve que lidar com emergências médicas ou situações de risco com animais? Como reagiu?
9. Como você se sentiria trabalhando em equipe com outros funcionários do pet shop, incluindo tosadores, banhistas e veterinários?
10. Descreva sua abordagem para educar os clientes sobre produtos e serviços oferecidos pelo pet shop.
11. Como você garantiria a segurança e o bem-estar dos animais sob seus cuidados?
12. Quais são seus pontos fortes e como eles contribuiriam para o sucesso do nosso pet shop?
13. Você tem alguma alergia a animais?
14. Como você se sentiria trabalhando em um ambiente movimentado durante horários de pico, como finais de semana?
15. Você é capaz de seguir procedimentos e protocolos rigorosos, especialmente quando se trata de saúde e higiene dos animais?

FREELANCERS? APLICATIVOS QUE AJUDAM!
O empresário Alexandre Gomes ou Alê, como é mais conhecido, de São Paulo-SP, de tanta dificuldade que já passou na hora de contratar funcionários para suas lojas durante os 15 anos que atua no mercado pet, criou aplicativos que facilitam essa busca e que fazem a ponte entre o lojista e os profissionais que atuam como freelancers. “Encontrar um local confiável com informações e avaliações é um desafio, especialmente para empresários. Isso se torna mais evidente em situações em que a agenda está lotada durante o fim de semana e o profissional não comparece. Muitas vezes, as pessoas recorrem às redes sociais, como o Facebook ou o WhatsApp, onde não há critérios claros estabelecidos. Por isso, desenvolvi duas plataformas de serviço para solucionar um problema latente no mercado pet: a falta de mão de obra especializada”, afirma Alê, cujo aplicativo “Meu Tosador” é voltado para a contratação de freelancers de banho e tosa e o “PetWork Conecta”, visa profissionalizar o mercado pet. “Os freelancers mais procurados no mercado são: tosadores, banhistas, motoristas, recreadores, monitores, adestradores”, ressalta o lojista, que ainda dá uma dica valiosa aos empresários: “considere a contratação de profissionais iniciantes com pouca experiência, pois eles podem ser moldados para se adequar ao perfil da sua empresa”.

1. EXPERIÊNCIA EQUALIFICAÇÕES
Verifique o histórico de trabalho e a formação profissional dos candidatos. Veterinários devem estar inscritos no CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) para exercer suas funções, enquanto tosadores podem ter cursos específicos na área. Experiência prévia no setor de pet shop também é valiosa.

2. APTIDÕES TÉCNICAS
Cada função requer habilidades específicas. Avalie a capacidade dos candidatos em realizar tarefas como vendas, cuidados veterinários, tosa e banho adequados. A dica aqui é pedir para eles demonstrarem suas habilidades em ambiente simulado dentro do seu estabelecimento.

3. HABILIDADES DEATENDIMENTO AO CLIENTE
Funcionários que lidam diretamente com os clientes, como vendedores e banhistas, precisam ter boas habilidades de comunicação e atendimento. Eles devem ser amigáveis, pacientes e capazes de lidar com situações diversas.

4. PAIXÃO POR ANIMAIS
Todos os profissionais do pet shop devem demonstrar um genuíno amor e cuidado pelos animais. Isso é especialmente crucial para veterinários, que serão responsáveis pelo bem-estar dos pets.

5. ÉTICA PROFISSIONAL
Avalie a ética de trabalho dos candidatos, incluindo pontualidade, comprometimento e respeito pelos colegas e pelos clientes.

6. CAPACIDADE DETRABALHAR EM EQUIPE
Um ambiente de pet shop exige colaboração entre diferentes setores. Certifique-se de que os candidatos estejam dispostos a trabalhar em equipe para garantir a eficiência das operações.

7. CONHECIMENTO SOBRE PRODUTOS E SERVIÇOS
Vendedores devem estar familiarizados com os produtos e serviços oferecidos pelo pet shop para fornecer informações precisas aos clientes. Lembre-se de que o cliente quer ter seu problema ou demanda resolvida e se sua equipe fizer isso com excelência a sua loja terá clientes encantados que te indicam para amigos e parentes.

8. RESISTÊNCIA FÍSICA
Tanto tosadores quanto banhistas realizam tarefas físicas, às vezes exigentes, como colocar cachorros de grande porte nas banheiras e mesas de tosa. Certifique-se de que os candidatos tenham a resistência necessária para lidar com animais de diferentes tamanhos e necessidades.

9. EMPATIA E SENSIBILIDADE
Veterinários e outros funcionários que lidam com animais doentes devem demonstrar empatia e sensibilidade para entender e atender às necessidades dos pets e de seus donos. Eles vão lidar com animais que fazem parte de uma família e para tanto precisam ser atenciosos não só com os bichos, mas também com os seus tutores.

10. DISPONIBILIDADE
Certifique-se de que os candidatos estejam disponíveis nos horários necessários para atender às demandas do pet shop, incluindo horários de pico e fins de semana.

REGIME DE CONTRATAÇÃO

Para Ricardo, a forma mais segura e legal de se contratar um profissional para o seu pet shop é seguir as regras da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). “Isso implica assinar a carteira de trabalho, assinar um contrato de trabalho com o empregado e pagar os encargos legais como INSS, FGTS, Descanso Semanal Remunerado etc. Algumas funções como vendedores e tosadores também podem ter uma remuneração variável no formato de comissão de vendas. Nesse caso é importante você consultar o seu contador para que ele te oriente como incluir esse pagamento na remuneração mensal do seu funcionário, pois ela também terá a incidência de encargos trabalhistas”, diz. No caso de contratação de veterinários, Ricardo aponta que também pode acontecer por meio das regras da CLT, porém isso acarreta obedecer ao salário base estadual da categoria que pode ser muito alto para um negócio pet de pequeno porte. “Nesses casos o mais indicado é propor um contrato de parceria com o médico-veterinário onde receitas e despesas são rateadas entre as partes, tanto para consultas, quanto para procedimentos como aplicações de vacina, limpeza de dentes, castrações e demais cirurgias. Esse rateio pode ser de 30% para o veterinário e 70% para o pet shop no caso de profissionais em início de carreira, até 70% para o veterinário e 30% para o pet shop no caso de profissionais com muitos anos de experiência e grande carteira de clientes. É importante que esse contrato de parceria seja redigido por um advogado e validado pelo seu contador para proteger ambas as partes”, ensina.
Robert compartilha conosco que, atualmente, na Agrosolo, contam com aproximadamente 150 postos de trabalho e realizam o recrutamento internamente. “Em todas as etapas desse processo, incluem as interações com a diretoria, buscamos ser transparentes ao esclarecer as expectativas da posição e sua relevância para a empresa. Comprometemo-nos a cumprir rigorosamente todas as combinações feitas durante a seleção, pois valorizamos a integridade e justiça em nossas relações com funcionários. Em nossa abordagem de contratação, valorizamos não apenas as informações do currículo, mas também identificamos potenciais e a motivação para fazer a diferença”, revela.

CONTRATOU E NÃO DEU CERTO?

Se você perceber que a contratação de um funcionário para a sua loja foi um equívoco, Ricardo diz que é importante agir rapidamente para resolver a situação de maneira eficaz e profissional. Aqui estão algumas etapas que você pode seguir:

Avalie a situação objetivamente: antes de tomar qualquer decisão, avalie objetivamente as razões pelas quais a contratação foi considerada um erro. É um problema de desempenho, atitude ou compatibilidade com a equipe?

Comunique-se: agende uma reunião privada com o funcionário para discutir suas preocupações e observações. Seja honesto, mas construtivo ao fornecer feedback sobre as áreas em que você acredita que a performance ou o ajuste não estão atendendo às expectativas.

Ofereça treinamento e suporte: se as preocupações estiverem relacionadas a deficiências de habilidades, ofereça oportunidades de treinamento e desenvolvimento para ajudar o funcionário a melhorar. Estabeleça um plano de ação claro para que eles possam abordar as áreas problemáticas.

Estabeleça expectativas claras: caso decida dar uma segunda chance ao funcionário, deixe claro quais são as expectativas de desempenho e comportamento. Certifique-se de que eles entendam o que é necessário para atender aos padrões da sua loja.

Monitore e dê feedbacks regularmente: mantenha um acompanhamento próximo do progresso do funcionário e forneça feedback regularmente. Certifique-se de que eles estejam recebendo o suporte necessário para melhorar.

Considere uma demissão: se, após tentativas razoáveis de resolução, a situação não melhorar, considere demitir esse funcionário.

Cumpra as normas legais: ao lidar com qualquer aspecto relacionado à rescisão do contrato de trabalho, certifique-se de cumprir as leis trabalhistas e regulamentos relevantes para evitar possíveis problemas legais.

Avalie processos de contratação futuras: use a experiência como aprendizado para melhorar seus processos de contratação no futuro. Revise seu processo de seleção para identificar áreas em que melhorias podem ser feitas para evitar contratações inadequadas. Tomar decisões difíceis faz parte da gestão e do crescimento de um negócio.

Agradecemos a colaboração de Alexandre Gomes, Proprietário de 7 Lojas (Gomes Mundo Pet) e 3 Clínicas Veterinárias (Gomes & Ferreira). Fundador do Aplicativo Meu Tosador, do Aplicativo PetWork Conecta e da Associação Nacional de Pet Shop (Anpetshop); Ricardo de Oliveira, Fundador do Fórmula PetShop. Capacitou mais de 300 empreendedores pet pessoalmente. É Co-fundador do CONEPET. Já prestou consultoria para algumas dezenas de negócios pet no Brasil e Robert Camargo, Gerente da empresa Agrosolo, que conta com uma unidade na cidade de Bauru, interior de São Paulo, e um e-commerce que atende consumidores a nível nacional. www.agrosolo.com.br

Por Samia Malas