7 orientações para atender o cliente gateiro no pet shop com excelência

Foto: yacobchuk/iStockphoto.com

Muito exigente e apaixonado pelo pet, o dono do gato precisa ser atendido por um vendedor que entenda da espécie felina 

Há poucos anos, os produtos voltados para felinos eram poucos e ocupavam menos espaço dentro da loja, diferentemente dos cães, que sempre tiveram quase que a totalidade dos pet shops com brinquedos, alimentos, snacks entre muitos outros produtos. Hoje, a ala dedicada aos felinos na loja cresceu. E como cresceu! A diversidade de produtos que o gateiro tem para escolher na loja é muito grande. Somente na seção de areias higiênicas, por exemplo, as opções são muito diferentes. Entender dessas diferenças e saber atender de forma adequada o gateiro no pet shop é um desafio que muitos vendedores têm em sua rotina de trabalho. Tratar o felino como um cão de pequeno porte é um erro muito comum e que desagrada o apaixonado por felinos. Sabendo disso, nessa reportagem especial voltada ao universo dos gatinhos, nós, da revista Pet Center, trouxemos algumas orientações que vão ajudar sua equipe na lida com o cliente dono de gato. Para essa missão, contamos com a ajuda de Débora Paulino, médica-veterinária pós-graduada pela ISFM em Advanced Feline Behaviour e criadora da Mais Gato, de São Paulo-SP. 

1.Pergunte sobre o gato
A primeira dica de Débora à equipe de vendas é, ao atender um gateiro, pergunte sobre o seu pet. Gatos são muitos diferentes uns dos outros, então, para conseguir ajudar o gateiro na escolha do melhor produto, é preciso uma minipesquisa durante o atendimento. “Pergunte qual o tamanho do gato, a idade dele, se o gato gosta ou não de brincar, se é peludo, se tem alguma preferência, ou seja, é preciso pensar no gato como um indivíduo único”, aponta. 

2. Membro da família

Lembre-se que da mesma forma que os cães se tornaram filhos, gatos também fazem parte integrante da família. “Tenha em mente que aquele cliente está procurando algo para um ser muito especial para ele. Esse cuidado faz com que o gateiro se sinta bem-vindo. Essa porta de entrada ajuda muito para fidelizar essa clientela e mais, faz com que ele indique o seu pet shop para outros gateiros”, aponta. 

3. Atendimento especial

Exclusividade e atenção são dois pontos que devem fazer parte do atendimento ao cliente gateiro, aponta Débora. “Embora todos os clientes devam ser tratados com exclusividade na loja, em se tratando do tutor de gato, esse ponto faz com que ele se sinta importante, ou seja, que ele perceba que o pet shop dá importância ao seu pet, tendo responsabilidade na escolha dos produtos que vende, sempre pensando nas necessidades do gato como espécie”, ressalta. 

4. Diferença com tutor de cão

A grande diferença do tutor de gato com o de cão, aponta Débora, é que o gateiro é muito mais atento. “Ele está sempre mais informado sobre lançamentos do mercado, acessórios novos, alimentos, fazendo com que o vendedor precise estar atualizado também para atendê-lo”, ensina a veterinária. 

5. Dê destaque ao felino na loja

A localização onde ficam os produtos voltados aos felinos na loja também é importante. O gateiro gosta de ter em um único espaço todas as variedades de itens para o seu pet. “Como é muito atento, o gateiro percebe – e não vê com bons olhos – se os produtos para gatos ficam escondidos no fundo da loja, por exemplo. Se o gato é reconhecido fisicamente naquele ambiente, no layout da loja ou o gato está ‘de canto’ no espaço”, alerta.  

6. Novidades do mercado

O cliente de gato, por ser bem informado, adora uma novidade. Assim, Débora orienta que produtos novos e lançamentos fiquem em destaque para que não passem despercebidos pelo gateiro. “O vendedor também deve ficar atento e oferecer/mostrar as novidades para o cliente, explicando os benefícios para o gato e como aquele lançamento pode melhorar a vida ou o manejo com o pet. Assim, ele tem grandes chances de fidelizar esse cliente”, ensina. 

7. Conheça a espécie

Por fim, é fundamental que a equipe de vendas entenda as particularidades da espécie felina. “Informações básicas sobre as necessidades do felino, se ele deve ou não comer sachê, como o alimento deve ser oferecido, qual o manejo correto com a caixa de areia, entre outras orientações que fazem com que o tutor de gato perceba que o vendedor entende da espécie e tem propriedade para indicar produtos. Costumamos dizer que os tutores de gato se reconhecem, e quando têm contato com um vendedor que está habilitado a conversar sobre a temática felina ele vai se reconhecer naquele vendedor, se aproximar e desenvolver um vínculo com ele, um elo de importância para ambas as vidas, o vendedor como profissional e o tutor como cuidador de um membro importante da família dele”, finaliza. 


Por Débora Paulino
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Anhembi. Pós-graduada em clínica e cirurgia de felinos pela Equalis.
Pós-graduada pela ISFM em Advanced Feline Behaviour. Docente no curso técnico de veterinária do Colégio Tableau e no curso de pós-graduação em Clínica de Felinos das Famesp.Criadora da Mais Gato.
Instagram.com/vet.debeepaulino 
contatomaisgato@gmail.com