domingo, julho 14, 2024
DestaqueDestaques Mercado PetMercado Pet

Mercado pet deve crescer 13,6% em 2023: taxa é a menor desde 2020

Foto: Divulgação/Fonte: Instituto Pet Brasil (IPB)

Segundo dados de entidades como a Abinpet e o Instituto Pet Brasil (IPB), o mercado pet brasileiro segue em alta, porém, desacelerou em 2023, com uma previsão de taxa de crescimento inferior aos demais anos. Projeções feitas pelo Instituto Pet Brasil apontaram que o mercado pet movimentaria cerca de R$68,4 bilhões em 2023, uma alta de 13,6% na comparação com 2022. Apesar do aparente crescimento, desde 2020, esta é a menor taxa de crescimento do segmento pet que se mantinha sempre acima dos 15%. Para se ter uma ideia, em 2021, cresceu 27% e em 2022, 16,4%. Nelo Marraccini, presidente do Conselho Consultivo do IPB, destaca que a projeção de crescimento indica uma consolidação dos bons resultados obtidos nos anos anteriores, mas a desaceleração demonstra que há desafios precisam ser trabalhados. “Já vínhamos colhendo bons frutos nos últimos anos, o pet hoje é um membro da família, mas precisamos avançar em pautas fundamentais que pressionam o setor e impactam diretamente na qualidade de vida dos nossos companheiros”, diz.

Apesar disso, o Brasil ainda é o terceiro maior em faturamento no segmento pet, representando 4,95% do mercado global, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (43,7%) e da China (8,7%).

Setores de crescimento

A maior fatia ainda se concentra no setor pet food (55,6% do faturamento, com R$ 38 bilhões), seguido do setor de vendas de animais (R$ 7,2 bilhões em 2023, ou seja, 10,5% do faturamento total e alta de 14,3% em relação a 2022), do pet vet com 6,9 bilhões (10,1% do faturamento do mercado e projeção de alta de 16% para 2023) e em quarto lugar o pet care (com faturamento de R$ 3,9 bilhões, com 16,7% de alta e representando 5,7% da fatia do mercado). Aliás, projeções feitas pela Cosmetic Innovation, a partir de dados da Euromonitor International apontam que o mercado de pet care deve registrar crescimento de 56% no Brasil até 2028, atingindo um montante de R$ 7 bilhões. Em 2023, o mercado de cuidados para animais de estimação no país avançou mais que o dobro em comparação à média global. As vendas chegaram a R$ 4,49 bilhões, o que representou uma evolução de 12,25% sobre o desempenho de 2022.
As previsões para o Brasil acompanham as perspectivas da Euromonitor para a América Latina. Segundo a consultoria, a região desponta como uma das mais promissoras para a indústria de cuidados com animais de estimação, impulsionada pela crescente importância dos pets para as famílias. Um indicativo desse fenômeno é que o gasto médio dos latino-americanos com cães e gatos supera a média global em 22% e 74% dos donos consideram seus animais de estimação como membros queridos da família

Fontes: Andipet, Instituto Pet Brasil e Abinpet

Por Allahil Bolivar Vianna Neto