Acessórios pet: desafio de aliar preço, design e qualidade

Foto: Br.Freepik/Sofia Dudova

Confira panorama do segmento mais colorido do mercado pet e que tem como missão melhorar, cada vez mais, a relação entre dono e pet

Mimos, coleiras, comedouros, brinquedos dos mais variados, entre muitos outros itens compõem o colorido e diversificado segmento de acessórios pet. E para atender esse exigente consumidor, as empresas do segmento devem investir, e muito, em inovação para lançar novidades. 

“O que está em alta são os brinquedos interativos, não só aqueles em que o pet brinca sozinho, mas também, que tenha a interação do seu tutor”

Denise Libardi, da 2D Pet

Denise Libardi, fundou a 2D Pet há 3 anos e foi motivada a abrir sua empresa nesse ramo pela percepção de que havia campo de crescimento no setor. “O segmento de acessórios passou a ser essencial e cotidiano nas vidas das pessoas, pois hoje a maioria a população tem pelo menos um pet. Por isso, entramos nesse mercado com o intuito de trazer produtos de qualidade, preço justo e entrega rápida – três grandes desafios de quem atua no setor”, aponta Denise, que para seus lançamentos, busca informações de produtos através de pesquisas em outros países. “Também temos 3 colaboradores full time para fazer buscas de inovação e design”, acrescenta Denise. Uma grande tendência no segmento de acessórios, é o combate à ansiedade da separação, além de itens que reforcem a relação entre tutor e pet. “O que está em alta são os brinquedos interativos, não só aqueles em que o pet brinca sozinho, mas também, que tenha a interação do seu tutor, proporcionando um convívio mais familiar e prazeroso”, diz.

 

“No pós-pandemia voltamos a investir no desenvolvimento de novos produtos aumentando principalmente nossa linha para gatos”

Amanda Zinato, da Lider Brinquedos

Amanda Zinato, Gerente de Marketing da Lider Brinquedos, que desde 1988 vende bolas e brinquedos para crianças, conta que a chegada da marca no setor pet em 2000 aconteceu pelo fato de enxergarem uma grande oportunidade de crescimento. “Hoje, acredito que o maior desafio de quem atua nesse setor tem sido mostrar para os clientes as vantagens dos produtos nacionais em relação aos itens importados. Somos uma empresa 100% brasileira, que preza pela qualidade dos seus produtos e segurança de seus usuários e, é claro, que isso tem seu preço. Felizmente, percebemos o aumento da procura pelos produtos nacionais”, aponta, ao compartilhar que a Lider possui uma equipe criativa que faz todo o desenvolvimento dos produtos desde a ideia inicial até a embalagem de comercialização. “É necessário inovar constantemente e prezar sempre pela boa qualidade dos itens. Buscamos acompanhar as tendências além de prestar muita atenção à opinião dos clientes. No pós-pandemia voltamos a investir no desenvolvimento de novos produtos aumentando principalmente nossa linha para gatos”, reforça.

“É preciso ter agilidade nas respostas das demandas do consumidor, que está cada vez mais exigente. A indústria precisa responder com maestria para se manter relevante”

Luciano Louis Becker, da Plast Pet

Luciano Louis Becker, Head de Marketing da Plast Pet, que atua há 26 anos no segmento de acessórios, destaca a importância dessa indústria para melhorar a qualidade de vida dos pets e de seus tutores. “Nosso principal desafio continua sendo entender as necessidades do mercado, traduzindo em produtos e serviços que façam sentido para toda a cadeia de parceiros até chegar ao consumidor final. Esse é o desafio que poucas indústrias conseguem superar e sustentar”, diz.

Luciano comenta que o segmento de acessórios é o cenário perfeito para explorar todo o potencial criativo de uma empresa. “A evolução das necessidades de tutores e pets, e o dinamismo do mercado, geram, constantemente, novas demandas. É preciso ter agilidade nas respostas dessas demandas do consumidor, cada vez mais exigente. É preciso responder com maestria para se manter relevante”, acrescenta.

Ter capacidade criativa e realizar alto investimento em tecnologia são fundamentais para liderar neste mercado. “A busca por inovação que dá origem aos lançamentos, e esse é um processo tão natural na Plast Pet, que tudo ocorre de forma espontânea. O reconhecimento do mercado diante da qualidade de nossos produtos, tanto na estética quanto em proposta de valor, só é possível se pensarmos em inovação e design”, afirma.

“Conosco, o pet shop compra a nossa medalha com Sistema de Geolocalização QR-CODE, mas divulga a logomarca dele nela”

Paulo Roberto Pereira da GravPet

Outro nicho que tem se destacado no ramo de acessórios são os itens que propõem o uso de tecnologia para dar soluções ao tutor. Paulo Roberto Pereira, sócio proprietário da GravPet, que comercializa medalhas personalizadas com QR-CODE e o Logo do PetShops, está há 4 anos trabalhando no lançamento do seu produto, que desenvolveu a partir da vontade de trazer algo diferente para o segmento pet. “Percebi que ninguém pensava muito no cliente – pet shop como parceiro, divulgando sua própria marca. Assim nasceu a GravPet. Conosco, o pet shop compra a nossa medalha com Sistema de Geolocalização Qr-Code, mas divulga a logomarca dele nela”, explica Paulo, que vem de uma experiência de 45 anos no setor têxtil, como Representante Comercial e Consultor Técnico.  Paulo também conta que os investimentos em tecnologia são constantes, principalmente no desenvolvimento de Softwares. “Conseguimos aumentar a produção de 4 ou 5 mil medalhas/mês, gravadas dos 2 lados, para mais de 20 mil nos dois últimos anos”, diz Paulo, que está sempre pesquisando o que é feito no segmento, por concorrentes e produtos de fora, para aprimorar a GravPet. “Para 2023 temos previsto o lançamento de um App que deve dar um auê muito grande no mercado. Mas não posso adiantar nada por enquanto”, finaliza.  

“Se manter no mercado requer muita dedicação, desde a produção, com matérias-primas totalmente atóxicas, fabricando produtos de ótima qualidade, com preços competitivos e procurando manter estoque de produtos para um atendimento e envio rápido ao distribuidor”

Tatiana Bastos, da Jaraguá Pet

Tatiana Bastos, sócia proprietária da Jaraguá Pet, que completa 18 anos de mercado em agosto de 2022, trabalha na empresa fundada por seus pais. “Em 1983, eles começaram fabricando brinquedos de pelúcia para crianças.Com o passar dos anos recebemos um convite para entrar como sócios na fabricação de brinquedos pet. Naquela época o mercado não tinha tanta visibilidade como hoje. Em pouco tempo, compramos a outra parte do sócio, mudamos para um galpão maior e graças a Deus e os pets só estamos crescendo. Meus pais, com mais de 70 anos de idade, continuam à frente da empresa e eu vim só para somar”, conta Tatiana. Para ela, lançar produtos totalmente novos na área de brinquedos é um grande desafio. “Por mais que você pense, quando vai pesquisar já tem algo parecido, tanto de fabricação nacional como importados”, aponta. O foco da Jaraguá Pet tem sido o enriquecimento ambiental, já que os pets ficam uma boa parte do tempo sozinhos e precisam ter distração. “A tendência no nosso setor é, cada vez mais, trabalhar para o bem-estar dos pets. Se manter no mercado requer muita dedicação, desde a produção, com matérias-primas totalmente atóxicas, fabricando produtos de ótima qualidade, com preços competitivos e procurando manter estoque de produtos para um atendimento e envio rápido ao distribuidor”, destaca Tatiana, cuja empresa tem ampliado sua produção. “Estamos com mais um galpão voltado somente para fabricação dos injetados, já fabricamos alguns brinquedos e bolas maciças e agora partimos para comedouros e teremos muitas novidades pela frente, inclusive, na área de higiene e beleza”, aponta Tatiana. 

“Estamos em todo o território nacional e o Brasil é regional, de cultura diversificada, o que nos faz procurar atender as necessidades e estilos de cada região”

Oliana Lima, da J.W. Laços e Gravatas

Lacinhos e afins para o banho e tosa

 Tradicional do setor de acessórios para o banho e tosa, a J.W Laços e Gravatas está há 19 anos no mercado pet. “Começamos com a distribuidora J.W. Equipamentos com venda de produtos, equipamentos e assistência técnica, loja física, mas os clientes sempre procuravam laços, gravatas e outros acessórios para enfeitar os animais. Assim, nos motivamos e iniciarmos a jornada da J.W. Laços e Gravatas”, compartilha Oliana Lima sócia proprietária da marca, que aponta o principal foco de quem trabalha nesse setor: “somos responsáveis pela finalização do embelezamento do pet, e precisamos provocar encantamento no tutor. Os adereços são a cereja do bolo do trabalho do banho e tosa.”

Para quem atua nessa área, Oliana explica que é preciso uma busca constante de matérias-primas de qualidade e diversificadas, além de pesquisa de mercado sobre tendências, cor e estilo que vão agradar diferentes perfis de tutores. “Estamos em todo o território nacional com nossos acessórios, e o Brasil é regional, de cultura diversificada, o que nos faz atender as necessidades e estilos de cada região. Trabalhamos com ‘moda’ e estar atento ao que o mercado humano quer para seus pets é um trabalho diário”, compartilha. Para isso, ter um “canto de ideias” exclusivo é primordial para ter resultados nessas pesquisas, enfatiza a empresária. “Procuramos estar sempre a frente do departamento de inovação e design, participando solucionando problemas, escolhas de matéria-prima, etc., mas temos colaboradores específicos e qualificados nesta área”, afirma.  


Por: Samia Malas