segunda-feira, maio 27, 2024
DestaqueSaúde

VETERINÁRIOS TEMEM PELA SAÚDE DOS ANIMAIS NA PANDEMIA

Foto: Guilhem Alandry/HealthforAnimals

Em novembro de 2020, veterinários de Bruxelas, fi zeram um alerta sobre o ressurgimento de doenças que podem ser evitadas entre os animais domésticos, depois que um em cada quatro donos de animais disse que atrasou ou faltou às consultas por causa da pandemia do novo coronavírus. Como resultado, mais de um em cada 10 cães e gatos deixaram de receber tratamento ou atendimento de rotina, de acordo com um levantamento feito entre mais de 3.200 donos de animais em quatro países, incluindo o Brasil. A pesquisa, encomendada pela associação global de saúde animal Health for Animals em parceria com a consultoria de comunicação e marketing de saúde animal Pegasus, re-velou que os temores relacionados ao risco de contrair a Covid-19 fora das próprias “bolhas sociais” são os principais motivos, mesmo com o número crescente de veterinários que oferecem consultas remotas. “Se os animais de estimação não estiverem recebendo cuidados de saúde de roti-na, incluindo a vacinação, poderemos ver um aumento de doenças evitáveis e outros problemas de saúde”, disse o Dr. Simon Doherty, professor sênior de Saúde e Bem-Estar Animal, Queen’s University Belfast. Quase metade (47%) dos donos de animais pesquisados disseram que seus veterinários ofereceram consultas digitais ou remotas, um aumento de 20% se comparado ao período anterior à pandemia. Apenas 1% dos tu-tores disseram que os veterinários não adotaram precauções especiais contra a Covid-19, sendo os requisitos de distanciamento social a mudança pessoal mais relatada. “A indústria veterinária viu uma rápida transformação tecnológica durante a pandemia do novo coronavírus, o que é positivo, mas os fornecedores de cuidados com animais, empresas e donos de pets estão aprendendo a se ajustar”, disse Luke Hopkins, da Pegasus.


TELEMEDICINA VETERINÁRIA SAÚDE 

Dos tutores que usaram telemedicina veterinária durante a pandemia, três em cada quatro ficaram satisfeitos ou extremamente satisfeitos com o serviço, com mais de um terço relatando que reduz o tempo de espera para falar com um veterinário. Mais de um em cada cinco disse que consultas digitais ou remotas significam que os veterinários podem dedicar mais tempo à consulta. Mais de 60 % concordaram, até certo ponto, que  seria mais provável entrar em conta-to com seu veterinário se pudessem fazê-lo virtualmente. “O atendimento veterinário está inovando tão rapidamente quanto a medicina humana, permitindo que mais e mais veterinários ofereçam consultas remotas e continuem a prestar serviços vitais de saúde animal, mesmo durante uma pandemia”, apontou Carel du Marchie Sarvaas, diretor executivo da Health for Animals. Além de doenças comuns, cerca de um terço (32%) dos tutores disseram estar preocupados ou muito preocupados com a possibilidade de seu animal contrair a Covid-19, apesar de serem raros os casos de animais de estimação em todo o mundo que  apresentaram a doença. “É especial-mente importante que qualquer pessoa que adotou um animal durante a pandemia busque e siga as orientações do veterinário para dar aos animais jovens o melhor início de vida possível”, disse a Dra. Marie-José Enders–Slegers, presidente da Associação Internacional de Organizações de Interação Humano-Animal.

SOBRE A PESQUISA
Realizada pelo Censuswide entre 28 de setembro e 9 de outubro de 2020; foram ouvidos participantes de: Brasil (1.015), EUA (1.010), França (625) e Reino Unido (608). Os donos de animais foram divididos igualmente (50:50) entre donos de cães e gatos.

Por: Assessoria de imprensa


Clique aqui e adquirá já a edição 228 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!