10 dicas para ser uma empresa sustentável em cenário competitivo

Apenas com processos seletivos eficazes e treinamento você conseguirá uma equipe com perfil alinhado – Foto: TaNu/iStockphoto.com

A pandemia impulsionou ainda mais a concorrência no setor pet então, é preciso repensar estratégias para ter sucesso nesse mercado

A humanização das marcas através do marketing digital chegou como uma grande tendência: oferecer serviços personalizados e alinhados às boas práticas é muito importante. Os consumidores de hoje querem saber o quanto o que compram impacta na sociedade. A transparência das empresas não é negociável, é uma premissa básica e isso não é possível se não houver valores e propósito. Inclusive, eles estão dispostos a pagar mais por isso. Alguns exemplos são: produtos veganos, personalizados, feitos a mão, etc. Esse é o caminho para construir relacionamentos sustentáveis com consumidores, os quais antes da compra, querem se relacionar. Esse novo comportamento exige estratégias complexas e integradas ao marketing digital.

Devido a concorrência nesse mundo digital é necessário que as empresas tenham diferenciais que agradem ao seu consumidor. Ser mais um no mercado não é um bom negócio.

Receber e-mail marketing, ligação de telemarketing ou robôs sem personalização, segmentação e permissão, não agradam. Com certeza sua mensagem será marcada como spam ou anúncio indesejado nas redes sociais e sua marca terá baixa credibilidade nas buscas inteligentes do Google.

Atraso nos prazos e comunicação equivocada com anúncios de venda direta deixou de funcionar para quem quer concorrer no mercado através da qualidade dos produtos e não ser reconhecido como a marca de menor preço, normalmente alinhada à baixa qualidade de produtos.

Um outro ponto é a importância dos departamentos de recursos humanos, treinamentos e marketing & vendas. Eles deixaram de ser operacionais há muito tempo e tornaram-se estratégicos para atender essa demanda. Se não tivermos uma equipe treinada, alinhada e comprometida com os objetivos e propósitos da empresa, será muito esforço para obter um baixo e “suado” resultado.

Também houve mudanças na forma de atuação das vendas. O social selling, ou seja, a venda como consequência de um relacionamento duradouro, já tem seus resultados comprovados. O objetivo não é convencer o cliente, mas torná-lo parte da nossa comunidade e ecossistema. Veja dicas para humanizar seu marketing digital:

  1. Cultura organizacional

Deve-se promover dentro da empresa a real preocupação com os clientes e a entrega da solução do problema que ele tem, através da eficiência nos produtos e serviços. A engrenagem da empresa deve funcionar com transparência e sustentabilidade, com processos de trabalho rápidos e seguros, alinhados ao compliance e à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). O engajamento em causas que impactam a sociedade como: inclusão, diversidade, questões ambientais, voluntariado e responsabilidade social são assuntos importantes e que também são responsabilidade de todos. Lembrando que ações são importantes e não apenas o discurso. Hoje, todo mundo pesquisa e confere o que acontece.

2. Rapidez na adaptação

O cenário de mercado muda cada vez mais rápido e seu posicionamento ágil é importante. Um exemplo é como algumas marcas agiram durante a pandemia: se posicionaram a favor do distanciamento social, mudaram o logo e compartilharam boas práticas com o mercado.

3. Comunicação fluida

Não se comunique como se estivesse escrevendo uma tese, mas sim, como se estivesse no telefone conversando com um amigo. Tem que ter o DNA da sua empresa, o que a faz diferente das outras, além de, é claro, seguir uma identidade visual que irá fixar a sua marca na cabeça do seu público. 

A segmentação de seus contatos será primordial para desenvolver o relacionamento com seus potenciais clientes através da comunicação direcionada a cada etapa do funil de vendas. O alcance sem relevância pode prejudicar a sua marca e sua imagem.

4. Referência de mercado

Sua equipe deve ser referência, mostrando que entende do que faz, fala, e compartilha, como as melhores práticas do segmento e informações relevantes para educar e informar o mercado. Uma pitada de paixão ajuda. 

É preciso expandir o conhecimento além da empresa, alinhado aos valores e propósitos do negócio. É importante saber quem escolher: as ações unirão a imagem da marca com a imagem dessas pessoas.

5. Acessibilidade

A empresa deve ter um porta-voz humano (uma pessoa real), acessível e que interaja com o público. Entenda e tire as dúvidas dos clientes. Não dificulte, facilite.

6. Presença omnichannel

Tenha sua presença em vários canais de comunicação, em horários, formatos e conteúdos diferentes para atender o seu público onde quer que ele queira interagir com você. Lembre-se: é ele quem escolhe.

7. Funil de vendas

Você deve compartilhar informações relevantes com o seu mercado, por meio de e-books, blogs, redes sociais e e-mails (chamados de inbound mar-
keting
e marketing de conteúdo) para seus possíveis clientes. É importante segmentar a sua lista de contatos para ser efetivo. 

Antes de vender, precisamos de credibilidade e gerar confiança no relacionamento para chegar até a venda. A automação de marketing oferece ótimas ferramentas para ajudar as empresas e profissionais nessa missão.

8. Jornada do cliente

Online e offline com apoio constante e personalizado. Muito importante a utilização de um CRM (sistema de gerenciamento de clientes alinhado ao fluxo de vendas) para ajudar nas atividades diárias. 

Nada pior do que a perda de prazos de entrega, troca de nomes e enganos que podem ser evitados com um fluxo de trabalho automatizado. Isso é investimento e não gasto.

9. Personalização da experiência

A humanização e individualização da experiência traz uma aproximação e carinho com a marca. 

Quem não gosta de receber uma carta com o seu nome, dizendo que estão cuidando de você? Aqui, os detalhes e o cuidado farão toda a diferença. É importante que seu cliente fique mais que satisfeito, fique encantado. 

Lembre-se: a indicação ainda gera muito negócio, por isso as ações e posicionamento na sociedade e detalhes na jornada de venda e pós-venda podem fazer a diferença na relevância da marca.

10. Cross-selling

Conheça o seu cliente, assuma o compromisso de ser mais que um fornecedor. Seja um parceiro com ações proativas e não apenas espere um próximo contato. Relacionamento é tudo. Mantenha a comunicação após a venda: a consequência é a fidelização e venda de outros produtos do seu catálogo.

Conclusão

A transformação e o marketing digital humanizados são importantes aliados para ganhar uma fatia ainda maior de mercado e fixar sua marca na mente dos consumidores. Como tudo o que é novo, gera desconfortos e dúvidas. Mas lembre-se: toda a mudança é de dentro para fora. Começa com os colaboradores e expande para o mercado através das relações interpessoais. Por isso, vale a pena ressaltar a importância de processos seletivos eficazes e treinamento. Só assim conseguirá uma equipe com perfil alinhado com as ações internas e externas, e a comunicação empática e transparente. 

A estratégia é que todos estejam na “mesma página”. Temos que colocar em prática os discursos e integrar departamentos e pessoas. Somos exemplo pelo que fazemos e não pelo que falamos, nas ações diárias.

Hoje, mais do que nunca, todos os colaboradores representam a empresa. O relacionamento deles com o mercado, comunicando o know-how e benefícios dos produtos e serviços é a conexão entre empresa x consumidor, através de carisma e empatia. Não conseguimos separar o pessoal do profissional: é a mesma pessoa que vive essas duas vidas. Nossa atuação nas redes sociais nos torna naturalmente influencers – o marketing tem que se encaixar no dia a dia.

Sim, é complexo. A engrenagem do sucesso tem muitos pontos e variáveis importantes e a experiência e a vivência farão toda a diferença.

A tecnologia irá ajudar muito nesse processo de humanização do marketing digital, eliminando barreiras geográficas e de comunicação e abrindo espaço para a criatividade gerar impacto com uma abordagem mais holística e fluida.

Minha sugestão: transforme seus clientes em fãs e defensores da marca, fazendo a diferença na vida das pessoas.

Quem quiser mais informações, entre em contato comigo através do meu
LinkedIn: www.linkedin.com/in/thaisbrait ou thaisbrait@gmail.com


Por:
Thaís Brait
Especialista em Planejamento Estratégico, Gestão de Mídias Sociais, Treinamentos de Marketing Digital e Marca Pessoal. Publicitária com MBA em Marketing & Negócios Internacionais e MBA Gestão de Negócios e sua grande paixão é arquitetar conexões entre pessoas – H2H. Atua como voluntária do CISV no comitê local de líderes e nacional para Relações Institucionais (www.cisv.org.br).


Clique aqui e adquira já a edição 233 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!