terça-feira, abril 16, 2024
Saúde

Sarna psoróptica em hedgehog ou ouriço pigmeu africano

Vista ventral do animal com observação de pele escamosa 
no pavilhão auricular esquerdo – Fotos: Arquivo pessoal

A falta de uma higienização eficaz dos ouriços faz deles hospedeiros ideias para ectoparasitas

Conhecido popularmente como Hedgehog, o Ouriço Pigmeu Africano (Atelerix albiventris) é um mamífero de pequeno porte, com origem no continente africano. São animais onívoros, com dieta composta principalmente de invertebrados, ovos e vegetais, podendo ainda alimentar-se de camundongos e outros animais pequenos. Suas principais características são o dorso recoberto por espinhos, abdome coberto por uma pelagem branca com hábitos noturnos e solitários. Atualmente, essa espécie de ouriço é a mais comumente encontrada como pet. Com o aumento de espécies exóticas como animais de estimação, o estudo sobre essas espécies e suas patologias se tornou excepcional para melhor conhecimento na rotina clínica. 

A falta de uma higienização eficaz dos ouriços, faz deste um hospedeiro ideal para os ectoparasitas, sendo os carrapatos mais comuns, pulgas e ácaros. Os ácaros encontrados mais frequentemente no Atelerix albiventris são Caparinia erinacei, Caparinia Tripilis, Notoedres oudesmani, Notoedres cati, Chorioptes spp. Otodectes cyanotis, Demodex erinacei, Sarcoptes spp. e Neotrombicula spp.

A sarna em Ouriço Pigmeu Africano é caracterizada por pele escamosa, dermatite, arrepios e alopecia, podendo gerar um desconforto no animal. Quando se trata de uma infestação por ácaros da família Psoroptidae que são ácaros superficiais possuindo corpo ovoide, patas longas e espessas, podem ser observadas formações de crostas espessas na pele do animal.

Dentre os procedimentos existentes, o uso do método da fita adesiva, que consiste na aplicação de um pedaço desse tipo de fita no pavilhão auricular e a sua sobreposição em lâmina para subsequente observação ao microscópio, pode ser utilizado para concluir o diagnóstico de sarna causada pelo ácaro e é importante para que o tratamento seja iniciado o quanto antes.

Um dos fármacos que podem ser utilizados no tratamento da sarna é a Selamectina. A Selamectina promove abertura dos canais de cloro pela ligação aos receptores de glutamato e com alta afinidade aos canais de cloro controlados pelo GABA, aumentando o influxo de cloro nas sinapses de nematódeos e na placa motora ou junção neuromuscular em artrópodes, provocando hiperpolarização da membrana com paralisia flácida, morte e eliminação do parasita.

A sarna causada por ectoparasitas (psoroptes, sarcoptes e demodex) é frequente na clínica de Atelerix albiventris. O tratamento da mesma é relevante devido aos seus sinais clínicos, que podem gerar um grande desconforto ao animal. Portanto, aconselha-se que o médico-veterinário seja procurado assim que qualquer tipo de alteração seja observada no comportamento do animal. Um forte abraço e até a próxima! 


Colaboraram para este artigo as acadêmicas e estagiárias da Birds & Cia/NIAAS Rafaela Ribeiro, Ângela Azevedo, Thainá Gonçalves, Mariane Barbosa. e Msc. Felipe Bath CRMV-RJ 8772. 


Clique aqui e adquirá já a edição 225 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!