domingo, junho 23, 2024
NegóciosNewsletter

7 DICAS DE OURO PARA A SEÇÃO DE JARDINAGEM

Foto: Cleardesign1/iStockphoto.com

Graças à quarentena, a seção de plantas e jardinagem aumentou bastante o faturamento de muitas lojas pet

A quarentena mudou diversos de nossos hábitos. Diante da necessidade de passar mais tempo em casa – em contraponto à dificuldade de nos aproximarmos da natureza em tempos de isolamento -, voltamos a atenção para o nosso lar. E neste ambiente, as plantas estão em alta. Elas não só tornam o ambiente interno muito mais confortável, mais fresco e mais bonito, mas também existe o lado terapêutico de cultivá-las. Estamos cada vez mais sendo conquistados por essa “onda verde” e, como consequência disso, muitos pet shops perceberam o grande aumento de vendas em suas seções de jardinagem – e também as novas oportunidades de ganho nesse nicho.

O próprio Ricardo de Oliveira, CEO da Sucesso Pet, aumentou muito os seus gastos com jardinagem na pandemia – Foto: Arquivo pessoal

Para Ricardo de Oliveira, CEO da Sucesso Pet e consultor de negócios pet, antes de tudo, o lojista precisa decidir se realmente quer manter ou criar a seção de jardinagem no pet shop, pois ela demanda cuidados bem diferentes dos outros produtos da loja. “Ele tem que entender se é uma oportunidade momentânea, ou se vai mesmo querer trabalhar com isso. É preciso treinar funcionários, regar, cuidar de fungos, colocar as plantas para tomar sol”, exemplifica o consultor. A publicitária especialista em merchandising Regina Blessa, também reitera as vantagens e desvantagens. “Há na jardinagem categorias que não dão prejuízo, como os vasos, mas também há outras que são perecíveis e dão prejuízo se não forem vendidas, como as plantas”, ressalta Regina.

Já Ricardo lembra, no entanto, que a margem de lucros de muitos itens de jardinagem, como vasos e flores, é bem alta, portanto um investimento bastante avaliado no segmento pode trazer um ótimo retorno. “Eu mesmo estou gastando três ou quatro vezes mais em jardinagem do que antes da pandemia”, revela. Confira, a seguir, algumas dicas de ouro e ações que vão te ajudar a organizar a seção no pet shop, e avaliar se é ou não boa investir nesse nicho no seu negócio.

1.Inicie com testes

“Comece com um mix pequeno com vasos, ferramentas para jardinagem, alguns defensivos para plantas caseiras, mudas, plantinhas, flores e experimente. Depois observe o que os clientes estão procurando e vá aumentando gradativamente a variedade”, sugere Regina. Iniciar com poucos itens também é uma maneira de evitar a perda de produtos perecíveis.

2.Espaço dedicado

Pode ser que a loja não tenha um espaço reservado para dedicar à seção de jardinagem, e muitas vezes também não existe a possibilidade de expansão. Nesse caso, o que fazer? Uma das sugestões de Ricardo é analisar os itens que fornecem pouca margem de lucro e que podem ser substituídos pelos novos produtos. “Outra opção é realizar um revezamento dos produtos cujas maiores vendas são sazonais, como, caminhas. É um outro teste que o lojista pode fazer”, recomenda.

3. Entenda o que o público quer (e precisa!)

Para saber o que a seção de jardinagem da loja deve vender, é preciso olhar para o público. “Não adianta querer vender roçadeiras em bairros centrais onde só existem apartamentos”, reitera Regina. Se a loja atende um público que vive em casas com quintal, é uma boa opção manter expostas plantas grandes e que precisam de sol. Mas os clientes que moram em apartamentos vão precisar de plantas menores e que consigam viver sem a luz solar direta. Acompanhar o que tem maior saída na loja e questionar os clientes sobre o que buscam são maneiras de obter as informações para fazer essa análise.

4. plantas saudáveis e bonitas

Flores e plantas são organismos vivos e precisam de vários cuidados todos os dias para mantê-las saudáveis. É preciso dar uma atenção extra às pragas e outras doenças, pois estas podem se espalhar e destruir a seção de jardinagem. A aparência também é primordial. “Elas só vão vender se estiverem bonitas”, reforça Ricardo. O consultor explica que muitas vezes o consumidor vai adquirir um item de jardinagem por impulso, portanto o aspecto da planta pode ser decisivo para ele decidir se vai levá-la para casa ou não. 

5. Equipe treinada

Assim como a equipe de atendimento do pet shop precisa entender dos produtos da loja como ração e acessórios, ela também precisa ser treinada com alguns conhecimentos básicos sobre os itens de jardinagem. Informações sobre os cuidados com as flores, ou para quais ambientes a planta é mais adequada serão valiosas para os consumidores, que nem sempre chegam à loja com esses dados. De acordo com Regina, uma boa dica é instruir a equipe para anotar o que os clientes buscavam e não conseguiram encontrar na loja. Essas informações podem indicar que produtos novos podem ser adquiridos. 

6. Montagem inteligente

Uma sugestão para lojas grandes é dividir a seção de jardinagem entre alas feminina e masculina – Foto: Arquivo pessoal

O ideal é dar destaque à seção, mantendo-a na frente da loja. “Como muitas pessoas costumam comprar itens de jardinagem por impulso, é importante que eles estejam dispostos perto dos caixas. Se a seção for novidade no pet shop então, é mais um motivo para evidenciá-la”, recomenda Ricardo. Uma sugestão de Regina para lojas maiores é dedicar espaços separados para itens que são mais procurados por um determinado público. “As lojas devem montar uma parte mais voltada para o público feminino, que costuma buscar flores, vasos, decorações, ferramentas manuais e outros itens para montagem de jardins caseiros. Outra parte da seção seria voltada para o público masculino que busca itens mais ‘pesados’ de jardinagem, hortas e pomares”. 

7. Plantas “pet friendly”?

Ainda que a loja seja um pet shop, os dois especialistas reforçam que não há necessidade de serem comercializadas somente plantas que sejam inofensivas para cães, gatos e outros animais de estimação. “Mas acho importante que a loja tenha sim algumas plantas ‘pet friendly’ para clientes que peçam por itens com essa particularidade”, conclui Ricardo.


Agradecimento:

Regina Blessa – Doutora em Design pela Universidade de Aveiro-Portugal, é mestre em Ciências da Comunicação pela USP, com graduações em Propaganda e em Belas Artes, com cursos de marketing na Columbia University, New York University e FGV. É colunista de várias revistas de varejo brasileiro. www.blessa.com.br e www.youtube.com/VAREJONATV

Ricardo de Oliveira – CEO e fundador da Sucesso Pet, portal de conteúdo e informação para empreendedores pet, além de consultor de negócios do segmento. Co-fundador do CONEPET, o maior evento online para empreendedores pet no Brasil. Formado em Administração, tem MBA em gestão de negócios pelo IBMEC e pós-graduação em Marketing pela UFPR.  www.sucessopet.com.br


Clique aqui e adquirá já a edição 227 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!