Já pensou em colocar sua empresa na nuvem? Conheça as vantagens e desvantagens dessa tecnologia!

Categoria: Administração

Autor(a): Ricardo Soares | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 16/02/2018 - 15:14

Esclarecemos suas dúvidas sobre o armazenamento de dados em nuvem
 iStock/ phototechno

iStock/ phototechno

Antigamente, quando falávamos que “fulano estava nas nuvens”, queríamos dizer que a pessoa estava distraída ou muito feliz. Agora, em nossa sociedade tecnológica, estar “na nuvem” ganhou um novo significado. A nuvem em questão é outro nome que se dá aos servidores que hospedam sites e muitos outros serviços aos quais já estamos familiarizados, pois fazem parte da nossa vida.
 

O site do onipresente Facebook, por exemplo, é totalmente mantido por servidores presentes nessa tal “nuvem”. A popularização do conceito de nuvem foi a força motriz para os vendedores da tecnologia propagarem a ideia de que se você não está na nuvem, está atrasado.

Neste artigo, eu gostaria de tentar responder algumas perguntas que comumente escuto de nossos clientes.

 

 

MEU NEGÓCIO PRECISA ESTAR NA NUVEM OU É MERO MODISMO?

Para responder a esta pergunta, preciso voltar no tempo e falar um pouco da história da tecnologia da informação, a famosa TI. Os computadores, como são conhecidos hoje, foram criados em meados do século passado. Naquela época eram máquinas caríssimas e gigantescas. Para utilizar esses computadores, os felizardos se valiam de terminais de acesso que basicamente eram compostos de teclado e monitor. Os terminais praticamente não tinham nenhuma capacidade de processamento. Tudo era feito no computador central, que passou a ser chamado de servidor. Mas a indústria avançou e, em cerca de 30 anos (por volta da década de 1980), os computadores se tornaram suficientemente baratos para que um louco afirmasse que brevemente haveria um computador em cima de cada mesa de escritório. O nome desse louco era William Gates III (mais conhecido como Bill Gates). Não é preciso dizer que a história provou que ele estava certo.
 

O fato é que a popularização dos chamados computadores pessoais (Personal Computers, em inglês, ou simplesmente PCs), causou uma mudança radical na forma como os dados eram processados. O poder de processamento, que antes existira somente nos grandes servidores, estava agora disponível em cada computador pessoal. Não fazia mais sentido depender de um servidor, até porque a tecnologia de telefonia não era a que temos hoje. Bastava instalar os programas adequados em seu próprio PC e o trabalho seria feito ali mesmo. Dessa forma, surgiram os processadores de texto e os primeiros programas de gestão comercial. E assim fomos felizes durante aproximadamente 20 anos.


iStock/ stevanovicigor
 

Foi então que surgiu a internet e colocou o conceito de cabeça para baixo, novamente. Se você parar para pensar, quando usa seu computador para acessar a internet e comprar uma passagem aérea, por exemplo, está fazendo praticamente a mesma coisa que era feita antes da década de 1980: usar um terminal (seu PC) para acessar um servidor (da companhia aérea), que faz todo o trabalho de processamento. 
 

Você pode se perguntar, então, se nós voltamos ao passado e como isso faz sentido. A resposta está no surgimento de novos dispositivos capazes de acessar a internet. Principalmente celulares, tablets e televisões mas, em um futuro próximo, também geladeiras, fogões e tudo mais que você puder imaginar. Esses dispositivos, embora disponham de uma capacidade de processamento limitada, que varia de aparelho para aparelho, permitem acessar com eficiência os dados gerados nos servidores da nuvem. Ou seja, colocando os dados “na nuvem”, podemos torná-los disponíveis para serem acessados por diversos dispositivos a qualquer momento. Diante disso, podemos afirmar com certeza que a resposta para nossa primeira pergunta é não, a nuvem não é apenas um modismo tecnológico.


iStock/ anyaberkut

 

 

QUAIS SÃO AS VANTAGENS E OS RISCOS DE ESTAR NA NUVEM?

Nós acabamos de ver a principal vantagem de estar na nuvem: a disponibilidade da informação. Se você tem um sistema de gestão hospedado na nuvem, pode acessá-lo de qualquer lugar do planeta por um dispositivo que tenha acesso à internet. Você pode conferir as vendas do seu negócio mesmo quando está sentado na orla da praia durante as férias em Cancun (embora eu não consiga imaginar por que você faria isso!). O principal risco, sem levar em conta questões de segurança da informação, está ali à espreita, escondido naquelas últimas palavras da frase anterior “... por um dispositivo que tenha acesso à internet”.
 

Infelizmente a internet brasileira não é famosa por sua confiabilidade. Embora muitos fornecedores tenham vendido a ideia da praticidade de um sistema totalmente na nuvem, deve-se considerar os problemas e prejuízos que podem resultar de uma interrupção do serviço de internet. Em função disso, e dependendo das particularidades do seu negócio pode ser interessante fazer uma migração parcial para a nuvem neste momento, ou seja, levar alguns serviços para a nuvem, mas manter os serviços críticos, como atendimento ao cliente ou emissão das notas fiscais, independentemente da disponibilidade da conexão com a internet.

 

 

O QUE A NUVEM TEM PARA OFERECER AO MEU NEGÓCIO?

Há um grande número de respostas para essa pergunta. Há sistemas de gestão completos totalmente baseados na nuvem, ferramentas auxiliares que podem te ajudar no dia a dia, sem contar as variações de serviços gratuitos e pagos. Vou mostrar aqui algumas ferramentas, sem pretender esgotar esse assunto que poderia se estender por muitas e muitas páginas:
 

• Trello www.trello.com.br)

Após criar sua conta no site, você poderá organizar uma ou mais listas de pendências e coisas a fazer de uma forma extremamente simples e intuitiva. Você pode acompanhar o andamento das pendências, compartilhar anotações com sua equipe, o que é ótimo para coordenar tarefas, e pode criar diversas listas de pendências organizadas por assuntos (pessoal, trabalho, listas de compra, etc.). Você pode acessar as listas pelo site ou pelo aplicativo para smartphone, disponível para iOS, Android e Windows Phone.

 

• Pet Agenda                                                             
(www.petagenda.com.br)

Imagine que você deseja ter uma lista de lembretes futuros referentes ao atendimento clínico-veterinário dos animais de seus clientes. Agora imagine se você pudesse programar o celular de seus clientes para tocar um alarme no dia certo de retornar a sua clínica para vacinação, vermifugação ou mesmo para a compra de ração. Com o serviço da Pet Agenda você pode fazer exatamente isso. Ao criar uma conta profissional no site, você pode enviar convites a seus clientes para também criar suas respectivas contas (ambas são gratuitas). A partir daí, você começa a compartilhar a agenda com seu cliente. Os lembretes que você cadastrar no site serão automaticamente sincronizados com a conta do cliente, que pode acessá-los também pelo site ou aplicativo gratuito em seu smartphone, disponível para iOS, Android e Windows Phone.
 

• Dropbox (www.dropbox.com)

O mais famoso serviço de backup de dados e compartilhamento de arquivos na nuvem. Embora existam outros serviços como o Google Drive (drive.google.com) e Microsoft Onedrive (onedrive.live.com), o Dropbox é, em minha opinião, o mais prático de ser utilizado. Após a instalação do aplicativo é criada uma pasta específica em seu computador. A partir daí, todos os arquivos gravados na pasta escolhida são automaticamente enviados para a nuvem. Você pode utilizar o serviço como um backup em caso de pane no seu computador ou como meio de compartilhamento com outros dispositivos (tablets e smartphones). Ao alterar o arquivo em qualquer dispositivo, ele será automaticamente sincronizado em todos os dispositivos associados a sua conta. A conta gratuita dá direito a 2GB de espaço, mas você pode ampliar essa cota convidando seus amigos para abrir novas contas no serviço.


Última edição (210)

Destaques:


Inove no banho e tosa

Acessórios para banho e tosa

Cadernos:
Aves
Aquarismo
Groom Brasil
PetClínicas


Saiba mais ›

Destaques:


Programando a gestão da empresa

EnqueteEnquetes anteriores

O que fazer quando o cliente diz: “Só estou dando uma olhadinha”?








Participando da nossa enquente você concorrerá a prêmios

Agradecer de maneira formal e aguardar

Fazer uma nova abordagem, mais simpática

Dar espaço ao cliente e se direcionar a outro consumidor

Da espaço ao cliente, mas ficar disponível para qualquer dúvida dele

PUBLICIDADE