Seja notável com três passos à frente

Categoria: Administração

Autor(a): Claudino Vicente | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 12/02/2014 - 09:29

“Não deixe que pequenos detalhes dificultem algo maior, como deixar que as sementes de melancia lhe impeçam de saboreá-la”
Foto meramente ilustrativa: Divulgação

Foto meramente ilustrativa: Divulgação

Vivemos em um mundo de mudanças dilacerantes, onde o trunfo está na criatividade contínua. Isso valia para ontem, vale para hoje e provavelmente vai valer para sempre. Um mundo onde, mais do que produzir coisas, precisamos desesperadamente produzir ideias que nos diferenciem dos outros, principalmente nos negócios pet. Hoje lutamos desesperadamente por atenção. Mas, se olharmos bem em volta, vamos perceber que apesar de todos estarem de acordo com essa afirmação, a prática nos mostra algo bem diferente: a maioria das pessoas, caro leitor da Pet Center, empreende uma grande quantidade de energia para se manter dentro do comum, do ordinário.
Responda rápido: qual foi a sua última tentativa para se colocar em destaque, para se tornar notável? Pode fazer uma lista das incríveis ideias, mudanças ou soluções que você ou sua empresa realizaram neste último ano? Para que você ou o seu negócio possa ser notável para os seus clientes, você precisa estar à frente dos seus concorrentes. Mas não é suficiente estar um passo à frente, pois no momento em que essa ideia começar a ser executada será tarde demais; outros provavelmente também já seguiram este mesmo caminho.
Estar dois passos à frente significa que todos entendem o que você quer quando lhes apresenta uma ideia ou produto, mas ele já era esperado, novamente é apenas uma questão de tempo para que os outros se igualem a você novamente. Já com três passos à frente você consegue mudar o jogo. Pessoas que pensam assim abrem caminhos, são precursoras da geração seguinte e criam novas necessidades aos seus clientes com algo que nem mesmo eles sabiam que queriam!
 
Ser criativo
Toda criança é criativa. Como você era, principalmente quando criava novas brincadeiras ou rabiscava as paredes com seus incríveis desenhos. Então, com o tempo, o sistema tirou isso de você. A sociedade nos educa para mantermos as nossas bocas fechadas ou seremos punidos, chamarão a nossa atenção ou rirão da nossa cara. Aí aprendemos a enterrar essa nossa criatividade bem no fundo. Passamos a acreditar que não devemos ser notados. Da próxima vez que quiser se criticar por ser inexpressivo, pare! Critique a si mesmo (e à sua empresa) por serem medrosos, só para variar. O primeiro passo para você voltar a exercitar a sua criatividade é alterar algumas percepções sobre ela. A verdadeira fonte de ideias vem de você aprimorar a sua capacidade de compreender o mundo a nossa volta. Você deve treinar então essa nova competência em você: a compreensão do que ocorre ao nosso redor. Você consegue ligar os pontinhos invisíveis? Você consegue melhorar seu poder de associação entre todos os dados que fluem até você? Pense em todas as informações que chegam ao longo de um dia: como as notícias que estavam no noticiário da noite afeta a sua vida e a vida de todos que trabalham com você? Afinal, uma simples greve em uma escola que você nem conhece pode afetar o estado de espírito da moça que faz a limpeza da sua empresa. Isso seria relevante para você? O quanto você consegue associar e compreender essas coisas? Porque essa compreensão é fundamental aos que pertencem ao mundo dos negócios, mesmo que eles não vejam assim.
 
Processo criativo
Para se colocar três passos à frente é preciso tecer essas linhas externas de modo cada vez mais rápido, inteligente e melhor que o concorrente. Você precisa moldar a sua imagem do mundo reunindo e sintetizando as informações externas. De fora para dentro e, ao mesmo tempo, olhar de dentro para fora. O que se passa aí dentro da sua organização, o que se passa aí dentro de você? Quais são os impulsos criativos que estão enterrados profundamente? Porque compreender o mundo é estabelecer uma conexão viva, dinâmica e vital entre o mundo exterior e você mesmo. Você cria ambos simultaneamente, como na física quântica.
Quando foi a última vez que saiu para falar com seus clientes? Ou passar o dia dentro da produção, junto com as pessoas que realmente entendem o quê e como a sua empresa produz os resultados que você apenas lê no seu e-mail? Quantos museus ou galerias de arte você visitou nos últimos meses? Quantos artistas contemporâneos você conhece? Qual o nome das professoras dos seus filhos? Se você sabe somente os nomes dos seus concorrentes e não consegue dizer o nome de um único escritor, ou artista, ou professor, sua visão da vida externa e interna estão perigosamente desequilibradas.
Se tudo está mudando rápido a sua volta, por que você ainda insiste em ficar parado? O que você pode fazer ainda hoje para estar diferente amanhã? Como pretende se tornar notável?
 
Claudino Vicente é consultor empresarial especialista em Organização, Eficiência, Produtividade e Motivação nas empresas.
 claudino@uprtc.com.br
http://blogsabermais.wordpress.com/

Última edição (209)

Destaques:


Dormindo de bolso cheio

Esquente as vendas no verão

Quer expandir sua loja?

Caminho da compra

Reduza tributos

Cadernos:
Aves
Aquarismo
PetClínicas


Saiba mais ›

Destaques:


Thelson Rizzo compartilha conselhos

Lhasa Apso: aprenda a tosá-lo

Brasileiro conquista americanos com seu trabalho

Projeto qualifica jovens com deficiência



EnqueteEnquetes anteriores

O que fazer quando o cliente diz: “Só estou dando uma olhadinha”?








Participando da nossa enquente você concorrerá a prêmios

Agradecer de maneira formal e aguardar

Fazer uma nova abordagem, mais simpática

Dar espaço ao cliente e se direcionar a outro consumidor

Da espaço ao cliente, mas ficar disponível para qualquer dúvida dele

PUBLICIDADE