sábado, abril 20, 2024
Banho e Tosa

10 dicas para fazer a manutenção de tesouras no banho e tosa

Foto: Lionel Falcon/ Dog model: Fiorela/ Groomer: Vinicius Cândido

Cuidar bem dessa ferramenta faz com que ela tenha uma vida útil muito maior

Cuidar dos equipamentos usados no banho e tosa diariamente deve fazer parte da rotina de todo groomer. Nesta reportagem, conversamos com dois profissionais que compartilharam seus segredos e dicas de como manter as tesouras no banho e tosa. “As principais tesouras utilizadas no dia a dia do banho e tosa são: tesoura reta, curva, tubarão e semi-dentada”, destaca Antônio Neto, de Uberlândia-MG, consultor e palestrante de mar-
keting para groomers. Para Camila Caetado, proprietária da escola ArtGroomer, de Campinas-SP, menos é mais. “Apesar de existirem diversos tamanhos, formatos e desenhos diferentes de tesouras para facilitar a vida do groomer, não sou muito exagerada. No início de minha profissão tinha umas 40 tesouras, hoje utilizo apenas quatro, e que na verdade ainda estou exagerando, pois fico mesmo no uso de três: uma reta de 8”, uma tubarão de 8” e uma semi-dentada de 8”. E tenho uma curva de 8” caso eu precise muito. Não acho prático durante uma mesma tosa trocar várias vezes de tesoura. Também não tenho nada contra a curva, mas gosto de me desafiar, de trinar, trabalhar com a reta e conquistar a curva perfeita”, aponta. “Se for indicar uma compra aconselho um kit (reta, curva, tubarão e semi-dentada) de 7” ou 8” polegadas, fio navalha com qualidade do aço entre 420 ou 440”, continua Camila. “O aço 440 é o mais tradicional e é conhecido por segurar a afiação por mais tempo quando a tesoura é bem cuidada”, reforça Antônio Neto. O profissional ainda lembra que há tesouras de diferentes preços, desde 150 ou 180 reais – mais comerciais e para groomers ainda iniciantes – até as que têm um aço de maior qualidade e chegam aos 2.000 reais. Mas todas exigem a mesma manutenção diária. “Essa manutenção ajuda, inclusive, que o groomer ganhe tempo no dia a dia, executando suas tosas, pois com as tesouras sempre em ordem, sem pontas cruzadas, lubrificadas, etc., evita que se façam buracos na tosa, por exemplo, e que o profissional perca tempo corrigindo imperfeições causadas por equipamento mal acondicionado”, explica Antônio.   

Camila ainda faz uma analogia interessante sobre o uso de tesouras: “Tesouras são como carros. Quanto mais investir e cuidar mais vai durar. Tesouras melhores (mais caras) conseguem segurar mais a afiação. Quanto mais se usa, mais perfeitas elas ficam! Já tesouras mais simples precisam de afiações constantes. Mas em ambos os casos, quanto mais cuidar, mais dura”, aponta Camila.  

A seguir, veja as dicas dos groomers entrevistados para que suas tesouras tenham uma vida longa. 

1) Evite quedas

“Tesoura e chão não combinam”, alerta Camila. “Não deixe as tesouras em cima da mesa enquanto você está realizando o processo da tosa, pois o cão pode esbarrar nelas e derrubá-las, e você pode correr o risco de perder a tesoura caso ela caia de ponta no chão”, explica Antônio Neto. Com as quedas constantes, Antônio explica que as pontas das tesouras começam a cruzar, até a perda total da ponta, dificultando, assim, a execução das tosas no dia a dia. “Além disso, chega uma hora que elas ficam inutilizáveis”, diz. 

2) Lubrificação diária

Apesar do ritmo do banho e tosa ser bastante acelerado, é importante que o groomer realize ao menos uma limpeza diária em suas tesouras. “Faça uma limpeza diária ao final do expediente com o uso de uma flanela ou papel toalha (que não cause atrito), passe um óleo na linha de corte e tire o excesso de óleo para que a tesoura esteja pronta para uso no dia seguinte. Esse é um cuidado muito importante para prolongar a vida útil da tesoura e da fiação”, ressalta Antônio Neto. Esse óleo (que pode ser o Singer, por exemplo, usado em máquinas de lavar louça, ou sprays próprios para lâminas), deve ser passado, principalmente, no parafuso da tesoura. “A tesoura deve abrir e fechar solta, sem travar no parafuso, ter movimentação bem leve”, explica. 

Todos os dias as tesouras precisam ser guardadas limpas, sem pelos, aponta Camila. “Existem produtos específicos para tesouras, mas é importante ser próprio para material cortante, pois alguns esterilizantes podem tirar o corte. Então use esterilizantes e lubrificantes próprios de lâminas”, ensina. 

3) Nunca corte pelo sujo ou molhado

Tosa somente deve ser realizada com cão limpo e seco. “Nunca use para cortar outros materiais como fita das gravatas também, pois isso danifica o fio da tesoura e exige uma afiação mais frequente”, alerta Antônio Neto, ao ressaltar que, ao fazer uma manutenção correta das tesouras, o groomer precisará realizar a afiação uma vez ao ano ou a cada 2 anos.

 “Tesoura de pelo são exclusivas de pelo. E também nem podemos trabalhar com pelagem suja, pois com certeza irá diminuir a vida útil da afiação”, reforça Camila. 

4) Guarde bem a tesoura

Após o uso, manter a tesoura em local seco – nunca úmido – de preferência no estojo original dela, para que a ponta não bata em lugar nenhum. “Isso evita que ela enferruje e entre em atrito com outras tesouras”, ressalta Antônio Neto. 

Outro cuidado que evita pontos de ferrugem na banheira é não deixar esse equipamento próximo das banheiras onde se banham os cães. “Dificilmente conseguimos recuperar uma tesoura que tem pontos de ferrugem”, alerta Antônio. “Alguns profissionais, além de guardarem no estojo original da tesoura, também colocam um pedaço de silicone bem pequeno ou borracha na ponta da tesoura, para preservar ainda mais a ponta, que é o local onde a gente perde o corte primeiro”, acrescenta o groomer. 

Camila reforça que as tesouras devem ser armazenadas com todo o cuidado. “Em diversas consultorias que chego para fazer a avaliação, tesouras estão jogadas em gavetas e, muitas vezes, junto com rasqueadeiras ou lâminas, e isso prejudica muito a vida útil delas”, compartilha. 

Ainda segundo Camila, já existem suportes específicos para tesouras de banho e tosa, alguns de parede, feitos de madeira ou acrílico, estojos em formato de pastas, e até algumas mesas que têm porta tesouras acopladas nelas próprias. 

5) tesoura sempre regulada

“Se você trabalhar com a tesoura fora da regulagem, você pode ter um atrito maior e automaticamente você terá uma vida útil menor”, ensina Antônio Neto. 

6) Entre cães

Entre uma tosa e outra também é preciso limpar a tesoura. “Existem sprays que esterilizam suas tesouras de forma tão prática que você pode fazer isso a cada troca de cão, deixando o pet muito mais seguro e trazendo um diferencial para seu banho e tosa, pois trabalho com diversas consultorias pet e são pouquíssimos os locais que têm todos esse cuidado a respeito de contaminação”, aponta Camila.

7) Cada um com a sua tesoura

Antônio Neto destaca que o uso da tesoura é individual. “Caso empreste a minha tesoura para o colega de trabalho, essa tesoura poderá ficar desregulada e perder o corte muito mais rápido devido ao peso da mão e o manejo da tesoura na mão de cada profissional. O compartilhamento de tesouras causa um desequilibrio nela, perdendo a regulagem feita. Sem mencionar os groomers que, como eu, são canhotos e que usam uma tesoura invertida”, explica o profissional. 

“Uma coisa sobre tesouras que aprendi na marra, é que tesoura é igual marido/esposa! Não se empesta! Como sou canhota, vários lugares que eu chegava para trabalhar só tinha material de destro. Eu achava que as tesouras eram ruins, mas na verdade não eram boas por que passavam por muitas mãos. Tesoura é um material fiel, ela se adapta em sua mão”, reforça Camila.

8) Atenção à pelagem dura

Camila indica que, se possível, o groomer tenha um estojo para a tosa de cães com pelagem dura e fluffy (como Poodles), pois essas texturas costumam prejudicar a fiação delas. “Quando digo pelo duro é pelo duro mesmo, não West que deveria ter pelo duro, mas tosa tanto na máquina que o pelo é macio. Digo os de competição que o pelo é um arame e tão duro que a gente força para cortar”, diferencia Camila. Antônio concorda, e sugere ter tesouras específicas para esse tipo de pelagem. “Usar a mesma tesoura para diferentes tipos de textura reduz a vida útil delas”, explica. 

9) Atenção na hora da afiação

A escolha do profissional que vai fazer a afiação das suas tesouras também exige atenção do groomer ou do salão de banho e tosa. “O cuteleiro deve ser o mesmo que faz afiação de tesoura para salões de beleza ou aqueles que trabalham com facas também, como as usadas por sushi mans, que são facas caras e exigem uma afiação mais especializada”, alerta Antônio Neto. Levar as tesouras em um chaveiro (que faz afiação de alicate) ou afiador sem experiência no ramo pode trazer consequências sérias, como a perda parcial ou total da lâmina da tesoura, reforça o groomer. 

“Quem mora no interior e, muitas vezes, não tem um serviço de cutelaria apropriado na região, aconselho que mande as tesouras para algum cuteleiro de cidade vizinha ou da região, que tenha esse know how”, compartilha Antônio Neto. 

10) Nunca lave ela com água e sabão

Outro cuidado importante é nunca lavar com água e sabão as suas tesouras do banho e tosa. “Isso também contribui para que se criem pontos de ferrugem”, ensina Antônio.


Por: Samia Malas

Agradecimentos:

Antônio Neto Siqueira
No mercado de banho e tosa há mais de 25 anos, o groomer é especialista em trimming e grooming em diversas raça, principalmente Spitz Alemão, consultor e conselheiro da equipe Centagro, Top Grommer Pet Smack e membro dos Groomer´s Team Brasil – Atacama.
Instagram:@ netotosa

Camila Caetano
Há 17 anos na área, atua como instrutora de cursos, é pós-graduada em Gestão de Pessoas e mestre em Grooming Internacional. Membro IPG – Nível Avançado. Groomer Elite Ibasa; Especialista Kyklon; Pet member wahl. Proprietária da Art Stilo (fábrica de uniformes e distribuidora) e da Artgroomer Escola de Banho e Tosa.

Site: artgroomer.com/ Instagram:@ art_groomer_pet_escola


Clique aqui e adquira já a edição 233 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!