sábado, abril 20, 2024
AtualidadesMatérias do Mês

O líder do futuro nas empresas de pet shop

Até pouco tempo atrás, a palavra futuro tinha um significado de incerteza para a humanidade. As pessoas tinham poucas fontes para imaginar o futuro.
Continuamos com muita ansiedade, mas já começamos a vislumbrar como será o mundo. Considerando as novas descobertas científicas, viveremos numa sociedade com maior longevidade do ser humano, alimento controlado geneticamente, remédios para as doenças que hoje afligem.
No aspecto tecnológico, um mundo sem fios, sem conexões físicas, mais rápidas, com uma imensidade de informações a nossa disposição.

O que isso pode trazer de impacto para as empresas?
Primeiro, gostaríamos que você pensasse em três temas que vêm sendo discutidos na sua empresa com uma certa frequência. Será que assuntos como aumentar as vendas e reduzir custos estão entre eles?
Imaginamos que sim, pois, na maioria das empresas, isso não sai da pauta. O que está por trás disso? Foco em superar as metas. Poucas empresas têm metas divulgadas para todos os colaboradores e como elas serão alcançadas.
Que tipo de liderança será necessária para uma concorrência que vem aumentando a cada dia? Onde se insere o novo líder?
Para entendermos esse processo, precisamos verificar a evolução das empresas. Elas estão começando a dar um novo passo. Da busca pelo lucro econômico passarão a tentar o equilíbrio entre este e seres humanos.
Quantos estão criando senso de disciplina, responsabilidade e comprometimento junto com suas equipes para crescer em um mercado extremamente competitivo?
Acreditamos que muito pouco. Ainda nos preocupamos só com o externo, aquilo que melhora a nossa imagem junto aos outros. Enquanto isso, os colaboradores  estão unidos para cumprir as metas?
Com muito pouco recurso e uma sobra de vontade é possível conseguir resultados fantásticos. Com alguma organização e ações baseadas na missão, visão, valores e metas que às vezes os líderes e liderados desconhecem.
O líder do futuro precisa entender as mudanças que estão ocorrendo em uma velocidade que não é fácil acompanhar.
O que significaria para você ser líder de uma equipe de um pet shop? Do que você abriria mão? O que realmente motiva os colaboradores? O que faz seus olhos brilharem?
O mercado pet está em crescimento, superando qualquer expectativa. Em contrapartida, os fornecedores de produtos e serviços também estão aumentado, todos querem uma fatia do mercado.
Quando os colaboradores sabem qual é o propósito da empresa, sua razão de existir e quais as metas de vendas e redução de custos, o resultado é aumento de lucro.
É muito conhecida a história de um rei que foi visitar a construção de uma catedral e perguntou a um colaborador o que estava fazendo. Ele respondeu: “Estou carregando tijolos”. A mesma pergunta foi feita a outro colaborador, que respondeu: “Estou ajudando na construção de uma catedral.”
O segundo colaborador com certeza via propósito no que estava fazendo. A pergunta que fica é: Será que o colaborador sabe a razão da empresa onde trabalha existir? Essa resposta só o líder pode fornecer, se é que ele sabe.
Será que o colaborador da empresa sabe o momento que estamos vivendo? Vamos fazer uma comparação: A imagem de um equilibrista ajuda a entender este momento. Imagine-se no alto de uma corda bamba, tendo que chegar do outro lado. Com qualquer passo errado, você pode colocar tudo a perder. Não adianta sair correndo e nem ficar parado.
A situação exige coragem e uma maneira diferente de fazer a travessia. Devemos nos preocupar com o que faremos e extrair o nosso aprendizado. Desenvolver processos de aprendizado será a nova fronteira do líder e se tornará tão importante quanto o resultado.
O que te ajudará nesse caminho? Você deve imaginar que serão ferramentas extremamente complexas e que será preciso planejar, controlar e administrar tudo e todos.
Não. Isso o tornara um bom gerente, mas não um bom líder. Se voltarmos à imagem do equilibrista, como saber qual é a hora de dar o passo?
Precisamos explorar novas capacidades. Se formos procurar, na história da humanidade, os grandes líderes eram iniciados, ou seja, pessoas que viam, ouviam e faziam coisas que ninguém sequer imaginava.
Eram desenvolvidos em centros de mistérios que já não existem mais. Buscavam a compreensão do mundo, por meio de um grande trabalho de desenvolvimento pessoal. Eram espiritualizados, ou seja, tinham uma comunhão e uma consciência dos propósitos da empresa.
O que você ou os seus liderados estão fazendo para desenvolvimento e crescimento da empresa?
Como esperar que uma empresa se desenvolva e cresça com consistência se seus líderes não têm uma busca para superar as metas?
Primeiro, devemos habilitá-los como facilitadores. O próprio nome já diz, facilitar o processo de desenvolvimento e crescimento de uma equipe de trabalho.
Aliás, essa é outra questão. Qual é a diferença entre desenvolvimento e crescimento? Não necessariamente nos desenvolvemos quando crescemos.
Muitos adultos continuam sendo grandes crianças, sem responsabilidade, com dependência extrema dos pais ou supervisores, se julgando vítimas quando não têm o que desejam.
O líder terá que ir além, antecipar movimentos e fazer o impossível em prol do desenvolvimento dos colaboradores e da empresa.
A superfície das coisas não poderá ser o limite para aqueles que querem ser líderes no futuro. Estamos falando de uma ampliação da consciência humana e um certo retorno às capacidades dos líderes da história da humanidade.

Salvador Balaguer, diretor da Balaguer Treinamentos S/C Ltda.