quinta-feira, maio 30, 2024
Administração

MANTENHA SUA EMPRESA NO AUGE

‘O que é mais necessário para manter sua empresa no auge?’, foi a pergunta que lançamos aos nossos leitores na Pet Center 184. E a maioria acredita que analisar o comportamento do consumidor seja a melhor opção. Confira na reportagem a seguir quais as orientações para o sucesso do seu negócio.

 

Saber onde investir é essencial para se destacar da concorrência. Em momentos de crise então, as empresas precisam de muito foco, detrminação e criatividade para continuar gerindo seus negócios. Estamos quase na metade do ano de 2017 e a crise ainda continua. A economia do país segue em queda e, por essa razão, grande parcela das empresas já teve que reduzir gastos, visto que maximizar faturamento em tempos de crise não é tarefa fácil. Mas o que é necessário fazer para tirar a empresa dessa situação?

É preciso saber lidar com essa instabilidade. Os gestores devem conhecer bem seu negócio e refletir sobre como está o gerenciamento da empresa. Fluxo de caixa e controle orçamentário tornam-se cada vez mais essencial nessa batalha para que os números fiquem sempre positivos.

 

VEJA QUATRO DICAS PARA VOCÊ FICAR ATENTO AO SEU NEGÓCIO: 

 

1. Atenção aos números

 

Assumimos como premissa que o objetivo de uma empresa é o lucro, ou seja, ganhar mais do que gasta. Aparentemente isso parece óbvio, mas empresas deficitárias precisam captar empréstimo no mercado, e sabemos que, em momento de crise, com a alta da inflação e da taxa Selic, o custo do dinheiro aumenta daí o captador de recursos, no caso a empresa, saboreia o amargo gosto dos juros compostos e do seu círculo vicioso. 

Adicionalmente, ter gestão efetiva dos custos e despesas e saber classificar esses gastos de acordo com suas prioridades, em outras palavras, os gastos precisam ser essenciais ao negócio. 

Ter ainda uma projeção afiada do fluxo de caixa, pois no marco zero (hoje) a empresa, de forma conservadora, se antecipa aos problemas detectados em curto e médio prazos e age de forma antecipada, o que ajuda, e muito, na gestão futura.

 

2. Avalie seu negócio
 

O fato de ter que matar um leão por dia, pode tirar do empresário a capacidade de analisar seu negócio. E afinal, como está indo seu negócio? Quais produtos são essenciais e quais aqueles que precisam sair da linha de produção? O que sua equipe tem a dizer a respeito do negócio, ou seja, tem algum processo produtivo/administrativo a aprimorar? E seus clientes, estão satisfeitos? Já parou para ouvi-los? Seu fluxo de clientes está diminuindo ou permanece inalterado? E seu faturamento médio diminuiu ou aumentou? Qual produto é seu carro-chefe? Sua matéria-prima é importada? Se sim, o que está fazendo para se proteger da crise cambial? Enfim, existem várias perguntas estratégicas e operacionais que trazem a realidade do seu negócio em suas mãos. Não é apenas gerir caixa, pois, na verdade, o gerenciamento financeiro da empresa nada mais é do que o resultado das respostas às perguntas anteriores e é de muitas outras perguntas e respostas não listadas aqui. E lembre-se, em momento de crise, procure ao máximo não captar empréstimos, pois eles estão caros e são círculos difíceis de serem quebrados. Seja criativo e gere oportunidades.

 

3. Gerando oportunidades

 

Em momentos de crise, existe aquela máxima da geração de oportunidade e isso é sim uma grande verdade. Empresas com má situação financeira, endividadas, precisam gerar caixa e, por isso, vendem seus ativos por preços atrativos. Ficar atento no momento de crise pode trazer possibilidade de investimento, como aquisições a baixo custo, tanto no processo produtivo quanto na estrutura de back-office (administrativa). 

Vale também analisar o comportamento do consumidor na crise e mudar o modelo de atividade. Um bom exemplo se encontra nos comerciantes. Lojas físicas estão perdendo força, principalmente em função de seus elevados custos fixos. A loja virtual é sim uma nova tendência, pois além de ter custo menor, tem abrangência maior, pois faz parte do amplo mercado digital, e claro, acaba abrindo as portas da sua empresa, pois seu cliente também vai achá-lo em sites de busca.

 

4. Seja um bom gestor
 

Um bom administrador vai além do conhecimento financeiro. É preciso ter liderança, estratégia. Ler, ler e ler. Buscar informações constantes seja do seu negócio, de economia, política etc. Lembrar-se de que, mesmo que tenha uma empresa bem sucedida, acredite, ela pode melhorar. Deve ter sua equipe ao seu lado, treiná-la, ser parceiro dela e fazer com que todos os membros sejam seus “sócios” nessa empreitada. Também convém visitar a concorrência, ser um cliente oculto. Perceber os pontos positivos e negativos da concorrência e replicar isso no seu negócio, fortalecendo os pontos positivos e minimizando ou eliminando os negativos. Ter ao seu lado clientes, fornecedores e colaboradores com vontade de vencer é a chave, pois esse grupo estará diretamente ligado ao seu sucesso. 

Para concluir, aja diferente! Não é comum obtermos resultados melhores se continuamos agindo da mesma forma.

Robson Profeta
Palestrante, personal & professional coach. | www.robsonprofeta.com.br