ACW: UM RECANTO DE INFORMAÇÕES PARA OS GROOMERS

Categoria: Banho e Tosa

Autor(a): Karen Natasha | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 13/07/2017 - 11:26

Presidente da Alianz Canine Worldwide (ACW), Maria Eugenia Ribelles fala sobre a importância da organização para quem trabalha com cães
Maria Eugênia Ribelles, presidente da Alianz Canine Worldwide / Arquivo Pessoal

Maria Eugênia Ribelles, presidente da Alianz Canine Worldwide / Arquivo Pessoal

No mundo todo, diversas organizações se dedicam ao estudo e desenvolvimento de raças de cães. Contudo, a espanhola Alianz Canine Worldwide vai além disso. Definindo-se no site oficial como uma “União global de associações cinológicas nacionais unificadas em critérios e reconhecimento internacional”, a iniciativa não possui fins lucrativos e está presente nos cinco continentes e com representante no Brasil, trabalhando não apenas com cinofilia, mas também com a formação profissional internacional. Conversamos com a presidente e fundadora Maria Eugenia Ribelles Ferrer para saber como tem sido a atuação da ACW junto a criadores e profissionais da área e quais as perspectivas da equipe para as competições, exibições e troca de informações sobre cães de raça. 

 

CINOFILIA COLABORATIVA

 

Os trabalhos começaram em 1992, contudo, a reestruturação da ACW, para que se transformasse na organização que é atualmente, ocorreu em 2007. Em 2011, surgiram o logotipo internacional e o nome Alianz Canine Worldwide, consolidando o projeto. Segundo Maria Eugenia Ribelles, a fundação é de interesse social e utilidade pública. “Na Europa não podem existir monopólios cinófilos e a ACW nasceu como uma alternativa aberta a colaborações”, afirma. Um dos focos da instituição é a formação profissional na área. “A formação de criadores, groomers, adestradores caninos para educar os cães ou mudar seu comportamento para que possam conviver com as pessoas, e auxiliares veterinários ou ajudantes técnicos veterinários é importante, pois ajuda o setor a ser mais profissionalizado”, frisa.

As organizações nacionais de cada país são responsáveis por realizar uma boa gestão e cumprir as normas de unificação da ACW. A criação e seleção responsável, atentando-se para a saúde dos pets, são requisitos imprescindíveis. Então, os criadores se filiam às organizações colaboradoras e reconhecidas pela ACW. “A Alianz coordena, une e evita que existam fronteiras, contribuindo com o intercâmbio de informação, juízes e documentação entre as organizações caninas dos países. É uma união baseada no respeito e na colaboração. Hoje, a Alianz Canine Worldwide está presente nos cinco continentes”, informa Maria. Dentre os membros da Alianz, estão a União Cinológica Brasileira (UCB), Alliance Française Canine, The Kennel Club of Japan e Union Kennels Argentina. Organizações da Bolívia, China, Dinamarca, Rússia e Egito, dentre outros países, também fazem parte da ACW.

Leia a entrevista completa adquirindo a edição 196 da revista Groom Brasil, através do link abaixo.

Última edição (200)

Destaques:


Planeje para ter um 2018 de sucesso

Natal lucrativo

Marketing do bem

Pet Clínicas

Caderno Aquarismo

Caderno Aves


Saiba mais ›


	Tecnologia em prol da clínica

Destaques:


Tecnologia em prol da clínica

EnqueteEnquetes anteriores

Quais destas medidas contribuem mais para tornar a empresa sustentável?








Participando da nossa enquente você concorrerá a prêmios

Evitar desperdícios no banho e tosa

Incentivar atitudes ecológicas

Disponibilizar produtos sustentáveis

Otimizar o uso de produtos e recursos da empresa

PUBLICIDADE