Motivar, reconhecer e recompensar: pilares da gestão de pessoal

Categoria: Matérias do Mês

Autor(a): Por Sueli Brusco | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas - SP | 11/06/2014 - 16:30

“Sem um bom líder, não há motivação, tampouco produtividade e muito menos reconhecimento”
Foto meramente ilustrativa: Divulgação

Foto meramente ilustrativa: Divulgação

Quem é o culpado pela desmotivação de um profissional? A empresa, o chefe ou a própria pessoa? Liderança e motivação. A construção de líderes é um processo gradativo e de consciência. O gestor de pessoal é uma ponta fundamental no sucesso das estratégias da empresa. Sem um bom líder, não há motivação, tampouco produtividade e muito menos reconhecimento. Esses três pilares são capazes de tornarem uma ação ou simples evento em sucesso pleno. 

  A ambição de atingir mercados, metas e abocanhar concorrentes tornam a empresa tão cega que os erros aparecem na base, na estrutura, na gestão pessoal. Portanto, quem ainda não percebeu que a estratégia das vendas e do negócio depende da motivação está perdendo alguma fatia do mercado ou patinando em ações erradas. Pois, o discurso da empresa não está calcado apenas no planejamento e na criação de metas. É preciso incorporar a alma nas ações. Primeiro credibilizar a equipe e ela o produto. Isso quer dizer, legitimar no sentido de mostrar quão ela é capaz de promover avanços.

Esse gerenciamento deve estar alinhado com uma boa gestão pessoal. Mas por quê? A resposta é simples: o ser humano é impulsionado pelo estímulo. Qualquer organização é composta de pessoas capazes. Algumas são mal gerenciadas ou nem gerenciadas são! É nessa fluida engrenagem que o negócio é sustentado e executado. Portanto, senhores do mercado, mãos à obra e olhos voltados à equipe.

 

Motivação e recompensa

 Pois bem, se a motivação é à base da produção e o único estímulo que você dispõe é o salário do funcionário, ele automaticamente vai produzir de acordo com o que você paga. O endomarketing está na mesa para trazer resultados, não só para comunicar. A comunicação é fundamental, principalmente aquela direcionada à valorização do quadro efetivo. Mostrar que a equipe também é parte da mensagem é algo genial e hoje em dia fator de mudanças.

Não adianta fidelizar o consumidor, isso já descobrimos como fazer. A questão é comprometer o público interno para que a imagem da corporação não tenha ruídos e todos que lá trabalham sejam realmente felizes e produtivos. Ao invés de primeiramente cobrar metas, estimule o empenho. Muitas empresas apostam em premiações como viagens, bônus e prêmios em geral para quem alcança a meta. Não é um erro. A questão, não é só entregar o prêmio ao funcionário. O ideal seria reconhecer pessoalmente cada um que superou suas metas individuais. Essa habilidade do gestor é o que chamamos de corpo a corpo. Isso se faz sem gerar custos à organização. Um gesto de aperto de mãos, uma salva de palmas, uma placa comemorativa ou uma notinha no jornal interno, custa quanto? E significa quanto em retorno?

 

Reconhecimento

Ousar no mercado pode ser um risco, mas ousar internamente buscando o comprometimento do setor pessoal jamais será arriscado. O marketing de incentivo, portanto, não está baseado tão somente em premiações em valores, mas também no interpessoal. É normal encontrar um funcionário que é top de vendas. Ele recebe todo mês o bônus de recompensa. Mas o diretor mal sabe o nome dele. Talvez, com ele valeria trocar o prêmio em papel pelo abraço do chefe diante da equipe ou um jantar entre colegas.

Por isso, ao pensar em gerenciar o setor de recursos humanos, preste atenção nas pessoas. Nelas estão as chaves do desempenho e o valor da empresa. Os resultados tendem a aparecer com as novas técnicas na rotina do RH. Ouse, credibilize, venda mais!

 

Sueli Brusco é diretora de serviços executiva da SimGroup e especialista em comportamento humano.

 

Última edição (207)

Destaques:


Hora da comida, que hora mais lucrativa!

Hospedagem de gatos

Novas leis trabalhistas

Entrevista com o presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC)

Erros e acertos na exposição de produtos




Saiba mais ›

Edgar Ferreira, expert em hand stripping, fala sobre técnica, carreira e mais!

Destaques:


Carreira internacional: como é tosar na Nova Zelândia

De olho nos felinos: passo a passo de tosa criativa

EnqueteEnquetes anteriores

Quais desses fatores mais contribuem para aumentar as vendas da loja?








Participando da nossa enquente você concorrerá a prêmios

Atendimento competente, atencioso e carinhoso

Firmar parcerias com outras lojas da região

Ser ativo e influente no mundo digital

Contar com uma loja com visual atraente

PUBLICIDADE